Páginas

sábado, 31 de dezembro de 2011

FELIZ 2012

Elias quer sair?


Pipocaram informações na imprensa que o meia-atacante Elias estaria disposto a voltar para o Atlético-Go e que inclusive estaria negociando sua liberação junto ao Figueirense. Não se sabe se o fato realmente é verídico. Elias é um bom jogador que não mostrou ainda todo seu potencial com a camisa alvinegra e será muito útil ao time em 2012. Porém, se realmente a notícia se confirmar, e o jogador se mostrar disposto a trocar o Scarpelli pelo time goiano, pode ir embora. Se não está afim de ajudar, se acha que o Figueirense não é um time a altura de seu futebol, faça sua mala e se mande, a diretoria que arranje outro para seu lugar.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Fernandes Renova


Ontem havia ainda uma indefinição da renovação de Fernandes com o Figueirense já que após reunião com o diretor Leonardo Moura uma proposta foi encaminhada para o jogador que ficou de analisá-la. Pois ontem mesmo veio a confirmação da renovação do ídolo alvinegro. Fernandes renovou seu contrato até dez/2012 podendo prorrogar para 2013 e após encerrar sua carreira deverá ser efetivado em alguma função administrativa do clube. Para a nação alvinegra foi um grande presente de fim de ano a renovação de nosso maior artilheiro que continuará a desfilar sua simplicidade e categoria no Orlando Scarpelli.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Final de Ano Alvinegro

Depois de surpreender a todos com a melhor campanha de um time catarinense em campeonatos brasileiros e de quase beliscar uma vaga na Libertadores da América, o Figueirense acabou chamando a  atenção e muitos negócios foram feitos. Desde que acabou o campeonato brasileiro o time vem sofrendo mudanças com chegadas e saídas de jogadores e integrantes da comissão técnica. Vamos as informações atualizadas:

SAÍDAS

O Alvinegro perdeu parte do seu time base e as principais saídas foram o meia Maicon e o zagueiro Édson Silva que foram para o São Paulo; O lateral Juninho foi para o Palmeiras; W. Nem voltou para o Fluminense e Bruno foi junto; Roger Carvalho tem propostas inclusive de fora e não deve ficar e Elias está fazendo de tudo pra ir jogar no Palmeiras, embora o time paulista tenha declarado que não tem interesse no atleta.

CHEGARAM

Para a defesa chegou o zagueiro Fred que estava no Juventude e o lateral Guilherme Santos que jogou o brasileiro pelo Atlético-MG; Para meio campo vieram Toró que também jogou no Atlético-MG e Luiz Fernando que estava no Vila Nova.

PERMANECEM

Dos principais jogadors que atuaram em 2011 o volante Túlio já acertou sua permanência no clube; Coutinho e Ygor tem contrato até dez/13; Os goleiros Wilson e Ricardo tem contrato até dez/14. O zagueiro João Paulo Goiano, os laterais Hélder e Pablo e o atacante Héber também estão confirmados para o ano que vem.

INDEFINIDOS

Alguns jogadores ainda estão com a situação indefinida. O volante Jônatas tem contrato terminando esse mês mas pelas informações passadas deverá ficar no Scarpelli. Caso também de Aloísio que por enquanto não renovou mas é outro jogador que a diretoria tem interesse e deve permanecer no clube para 2012. Outro jogador que a diretoria tem interesse em permanecer é o atacante Júlio César. O contrato do jogador também acaba agora no dia 31 de dez/11 mas a intenção é mantê-lo embora o Corinthians já tenha demostrado interesse no jogador. É torcer para que ele fique. O caso mais falado nos últimos dias é de Fernandes. O presidente Lodetti adiantou para todos que Fernandes teria seu contrato renovado por pelo menos mais um ano mas a informação é que o clube e o jogador ainda não se acertaram. A expectativa é grande já que Fernandes tem uma história dentro do Figueirense e é um ídolo da nação alvinegra, então a situação deixa todos apreensivos para poder contar com o dono da camisa 10 para o ano que vem.

COMISSÃO TÉCNICA

Com a saída de Jorginho o Figueirense anunciou a vinda do técnico (??) Branco. Hoje foi apresentado o novo preparador físico do clube e trata-se de Luiz Fernande de Paiva Farias, que teve passagens na preparação física das seleções brasileira de base. O novo integrante da comissão técnica junta-se a Norberto Cabral na responsabilidade da preparação física alvinegra.

REFORÇO

Ganhou força após entrevistas do presidente Lodetti o nome de Franco Niell, jogador argentino que disputou a última Libertadores pelo Argentino Juniors e terminou o ano jogando no Queretaro do México. O jogador viria para o lugar de Wellington Nem e segundo o presidente é mais rápido e tem faro de gol. É esperar para ver se a negociação vai fluir e se o jogadore realmente é tão decisivo assim.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Deu "Branco" no Figueira!


Foi apresentado nessa terça-feira o novo treinador do Figueirense. Depois de muita expectativa pela saída do técnico Jorginho, alguns nomes pipocavam entre os comentaristas esportivos. Para surpresa de todos o nome apresentado foi do ex-lateral da seleção brasileira, Branco. O ex-jogador nunca atuou como técnico de futebol e depois que pendurou as chuteiras foi ser coordenador de futebol da base da CBF e do Fluminense. Aos 47 anos, Branco terá sua primeira oportunidade no comando de um time e daqui pra frente o negócio é torcer para que a falta de experiência no cargo seja compensada pelo seus conhecimentos de dentro do campo, já que sua escolha ficou abaixo do que todos esperavam. Boa Sorte!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Lançamento dos novos uniformes do Figueirense

Amanhã, dia 07/12 o Figueirense estará fazendo no Ginásio Carlos Alberto Campos o lançamento dos novos uniformes para 2012, já com a nova fornecedora do material esportivo, a PENALTY. O evento será apresentado por Marcos Piangers, figura já conhecida da torcida alvinegra que desde o ano passado vem participando das campanhas de marketing do clube. O lançamento ocorre a partir das 19:30 hs e a entrada no evento se dará mediante apresentação de um cupom da timemania que pode ser adquirido na hora, sendo que os primeiros 500 a apresentarem o cupom irão concorrer a 11 camisas do novo modelo. Segundo o site do clube, 8 sócios que estão em dia com suas mensalidades serão sorteados para participarem do desfile de lançamento dos novos uniformes.



Prêmio Craques do Brasileirão

Aconteceu na noite de ontem no auditório do Ibirapuera em São Paulo a entrega do Prêmio Craque do Brasileirão. O Figueirense chegou com moral já que foi indicado em cinco categorias e concorria com Jorginho (melhor técnico), Bruno (melhor lateral direito), Juninho (melhor lateral esquerdo), Júlio César (melhor primeiro atacante) e Wellington Nem (melhor Revelação).  A premiação foi marcada pela falta de organização. Muitas gafes, discursos políticos, sumiço de envelopes com os vencedores além da apresentação dos lambe-lambe da TV Globo foram o ponto negativo da noite. De positivo foi a escolha de W. Nem como o jogador revelação do campeonato já que ele concorria com Leandro Damião (Inter-RS) e Bruno Cortês (Botafogo). Jorginho ficou em segundo entre os técnicos, na frente inclusive e Tite que foi campeão brasileiro,  Juninho injustamente perdeu para Bruno Cortês (Botafogo) a escolha como melhor lateral esquerdo, Bruno ficou atrás de Fagner (Vasco) e Mariano ?? (Fluminense), e Júlio César também ficou atrás dos dois concorrentes, Neymar (Santos) e Leandro Damião (Inter-RS).
As indicações foram merecidas pelo que o Figueirense fez durante todo o campeonato brasilero. Veja abaixo os premiados da noite:

Craque do Brasileirão:
Neymar (Santos)
Goleiro:
1º - Jefferson (Botafogo)
2º - Fernando Prass (Vasco)
3º - Júlio César (Corinthians)
Lateral-direito:
1º - Fagner (Vasco)
2º - Mariano (Fluminense)
3º - Bruno (Figueirense)
Zagueiro pela direita:
1º - Dedé (Vasco)
2º - Antônio Carlos (Botafogo)
3º - Rhodolfo (São Paulo)
Zagueiro pela esquerda:
1º - Réver (Atlético-MG)
2º - Leandro Castan (Corinthians)
3º - Emerson (Coritiba)
Lateral-esquerdo:
1º - Cortês (Botafogo)
2º - Juninho (Figueirense)
3º - Kleber (Internacional)
Volante pela direita:
1º - Ralf (Corinthians)
2º - Romulo (Vasco)
3º - Arouca (Santos)
Volante pela esquerda:
1º - Paulinho (Corinthians)
2º - Renato (Botafogo)
3º - Marcos Assunção (Palmeiras)
Meio-campo pela direita:
1º - Diego Souza (Vasco)
2º - Deco (Fluminense)
3º - Lucas (São Paulo)
Meio-campo pela esquerda:
1º - Ronaldinho (Flamengo)
2º - Montillo (Cruzeiro)
3º - Thiago Neves (Flamengo)
Atacante 1:
1º - Neymar (Santos)
2º - Leandro Damião (Internacional)
3º - Júlio César (Figueirense)
Atacante 2:
1º - Fred (Fluminense)
2º - Borges (Santos)
3º - Loco Abreu (Botafogo)
Técnico:
1º - Ricardo Gomes/Cristóvão Borges (Vasco)
2º - Jorginho (Figueirense)
3º - Tite (Corinthians)
Revelação:
1º - Wellington Nem (Figueirense)
2º - Cortês (Botafogo)
3º - Leandro Damião (Internacional)
Árbitro:
1º - Leandro Vuaden (RS)
2º - Paulo César de Oliveira (SP)
3º - Sandro Meira Ricci (DF)
Craque da galera:
1º - Dedé (Vasco - 46% dos votos)
2º - Liedson (Corinthians - 36% dos votos)
3º - Neymar (Santos - 18% dos votos)
Artilheiro:
Borges (Santos - 23 gols)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Juninho conquista a Bola de Prata da Revista Placar

O Figueirense tem muito o que comemorar ao final do Campeonato Brasileiro. Além de igualar sua melhor campanha na competição o lateral-esquerdo Juninho conquistou, nesta segunda, no Museu do Futebol, em São Paulo, com a Bola de Prata, tradicional premiação feita pela revista esportiva Placar como o melhor jogador da posição.
Está é a primeira vez que um jogador do Alvinegro conquista o prêmio concedido desde 1970 pela Revista Placar. O jogador do Figueirense terminou o ano com média 5,76 e recebeu o troféu das mãos do meia Juninho Paulista, campeão mundial em 2002 pela Seleção Brasileira.

Veja os vencedores da Bola de Prata 2011:
Fernando Prass (Vasco) – goleiro
Mário Fernandes (Grêmio) – lateral-direito
Dedé (Vasco) – zagueiro
Paulo André (Corinthians) – zagueiro
Juninho (Figueirense) – lateral-esquerdo
Marcos Assunção (Palmeiras) – volante
Paulinho (Corinthians) – volante
Ronaldinho Gaúcho (Flamengo) – meia
Montillo (Cruzeiro) – meia
Neymar (Santos) – atacante
Fred (Fluminense) – atacante
ArtilheiroBorges (Santos)
Bola de OuroNeymar (Santos)
Chuteira de OuroNeymar (Santos)
Fonte: clicrbs.com.br

Jorginho Sai, quem vem?


Na coletiva após o empate no clássico o técnico Jorginho anunciou que está saindo do Figueirense para investir em outros projetos. No final do jogo o técnico se dirigiu até a torcida e teve seu nome gritado por todos. Alguns mais empolgados ainda puxaram um couro de " Fica Jorginho", um pouco exagerado. De qualquer forma o técnico marcou seu nome no clube com a melhor campanha de um time catarinense em campeonatos brasileiros. Agora é esperar para saber quem vem para o seu lugar. Não é fácil decidir quem vai ser o comandante, esperamos que venha um treinador melhor que Jorginho.

Avaí x Figueirense - Ponto Final

Finalizando o Brasileirão 2011 o Figueirense foi até a Ressacola enfrentar seu maior rival, o já rebaixado Avaí, buscando um vitória para manter aceso o sonho de disputar a Libertadores em 2012. Para isso tinha que torcer por derrota do Flamengo diante do Vasco e que Internacional-RS e Coritiba não ganhassem suas partidas diante de Grêmio e Atlético-PR respectivamente. Além disso, outro objetivo era pontuar para fazer a melhor campanha de um time catarinense em campeonatos brasileiros. E o clássico ficou abaixo do esperado, em termos de público e de futebol também.
O primeiro tempo começou em um ritmo lento. Parecia que os dois times estavam apenas cumprindo tabela. O time da casa todo remendado, sem atacantes, e o alvinegro tocando a bola meio que sem compromisso. Alguns contra-ataques foram armados com W. Nem e Júlio César mas a zaga avaiana conseguia frear as arrancadas muitas vezes com faltas mais ríspidas, inclusive Héber entrou no lugar do machucado W. Nem. Aos poucos o Avaí foi se soltando em campo e apesar de quase nada organizado mostrava mais vontade que o burocrático Figueirense. Depois de criar algumas oportunidades razoáveis, Lincon cruzou, Igor perdeu na cabeça para Robinho e Diogo Orlando de perna esquerda dentro da área abriu o placar para o rebaixado Avaí aos 44 minutos do primeiro tempo.
Veio o segundo tempo e com menos de 1 minuto Héber fez linda jogada pela esquerda e chutou forte para empatar a partida. Aí o Figueira acordou em campo e a virada parecia que estava próxima. Logo em seguida Maicon fez bela jogada no meio campo, driblou três jogadores avaianos e chutou por cobertura, a bola bateu na trave e no rebote Elias chutou por cima do gol. Em seguida Fernandes entrou no lugar de Elias e no seu primeiro lance recebeu de Juninho na frente da área e chutou forte no ângulo e o goleiro fez a defesa espalmando para escanteio. Na jogada seguinte, Júlio César recebeu a bola na ponta esquerda e ao proteger a bola para driblar o zagueiro colocou seu braço no rosto do jogador e o árbitro interpretou como agressão expulsando o atacante alvinegro. Reação freiada! Com um a menos o alvinegro teve dificuldades para chegar ao gol adversário. O Avaí também não mostrou muita força para vencer a partida e o jogo terminou mesmo num sonolento empate. Mesmo que a vitória viesse não mudaria muita coisa já que o Inter venceu seu jogo e o Flamengo conseguiu um empate diante do Vasco e com isso, o Figueirense terminou o campeonato em sétimo lugar, com 58 pontos e o campeão acabou sendo o Corinthians. Apesar da excelente campanha ficou no final um gostinho amargo de não ter conseguido ganhar seu maior rival na última rodada e ter conseguido chegar a Libertadores em 2012. Em compensação, com os 58 pontos, o Figueira alcançou a melhor campanha de um time catarinense na série A do campeonato brasileiro.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Figueirense x Corinthians - Derrota totalmente fora de hora!


Após a goleada sofrida em casa para o Fluminense na última rodada o Figueirense tinha a chance de se reabilitar no campeonato perante sua torcida e dar um grande passo para garantir a vaga para a Libertadores. Mas para isso o alvinegro tinha pela frente nada mais, nada menos que o Corinthians, líder do campeonato e que veio para Florianópolis com um só objetivo, o de ser campeão antecipado. O jogo virou foco de toda a mídia nacional, torcedores, jogadores, enfim, praticamente um clima de decisão. A semana já começou tensa com a questão da venda de ingressos para a torcida visitante, antes da partida o clima não era bom, o jogo foi nervoso e no final, erramos novamente no detalhe e perdemos a partida.
No início, muito equilíbrio. As duas equipes não conseguiam chegar com perigo ao gol e o pouquíssimas chances de gol foram criadas. No primeiro tempo prevaleceu o respeito e a marcação. Nem o Figueira e nem o "timão" arriscaram muito e pareciam se estudar o tempo todo. Wellington Nem foi quem tentou fazer algo diferente em suas arrancadas pela direita. Em uma delas aos 26 minutos, sofreu falta na lateral da área e Júlio César bateu forte e a bola carimbou a trave esquerda adversária. O primeiro tempo terminou com quase nada de criação e muita marcação.
Veio o segundo tempo e o técnico Tite colocou o meia Alex no lugar do atacante Willian. O Corinthians ganhou em qualidade no meio campo. Pelo lado do Figueirense o técnico Jorginho colocou o atacante Aloísio no lugar de Fernandes. Pra mim repetiu o erro da partida anterior contra o Fluminense abrindo o meio campo. Jônatas talvez fosse a melhor opção liberando mais Maicon para a criação sem perder em marcação no meio. Mesmo que o jogo continuasse da maneira que estava o empate não era de todo ruim. Logo o erro foi fatal. Aos 22 minutos Coutinho saiu jogando errado no meio e perdeu a bola para Alex. O meia Corinthiano carregou a bola para a esquerda sempre ameaçando finalizar a gol e conseguiu assim atrair toda a defesa alvinegra para a jogada e não perceberam que Liédson se deslocou livre para o meio da área. Alex percebeu a movimentação e cruzou na cabeça do atacante que só teve o trabalho de escorar para o gol e abrir o placar. O Figueira sentiu o gol e demorou a se achar em campo. Para ajudar Jorginho sacou Júlio César e colocou Rhayner em campo. Desastre total. Já no final do jogo, Aloísio ainda teve um momento de lucidez e fez jogada pela esquerda e cruzou para Wellington Nem que vinha na corrida, se jogou de carrinho mas não alcançou a bola que passou raspando a trave adversária. Mais nada foi criado e o time paulista tratou apenas de se defender para garantir a vitória.
Com a derrota o Figueirense caiu para o sétimo lugar sendo ultrapassado por Internacionao-RS e Coritiba, todos com 57 pontos. Por isso o empate não era de todo ruim, já que o time chegaria aos 58 pontos e só dependeria de si na última rodada contra o já rebaixado Avaí. Agora o time tem a obrigação de ganhar o último jogo e torcer para que Inter, Coritiba e Flamengo percam seus jogos para assim garantir uma vaga pelo menos na pré-libertadores.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Figueirense x Fluminense - Apagão custou caro!


Tentando manter a excelente campanha de 14 jogos invictos e se consolidar de vez no grupo que se classifica para a Libertadores o Figueirense recebeu o Fluminense no Scarpelli em um jogo decisivo que valia o terceiro lugar na competição. Pois em 2008 o alvinegro recebeu o tricolor carioca em casa em partida importante contra o rebaixamento e um apagão no estádio acabou atrapalhando os planos do Figueira que acabou amargando uma derrota. Ontem novamente um apagão custou caro! Dessa vez não foi no estádio, e sim no time que depois de um bom primeiro tempo acabou não se encontrando no segundo e caiu de quatro para o Fluminense.
No início o Figueirense foi pra cima. Aloísio perdeu grande chance nos primeiros minutos e logo depois, aos 8 minutos, o mesmo Aloísio foi derrubado pela zaga dentro da área e o árbitro Héber Roberto Lopes fez vistas grossas e não marcou pênalti. Antes disso, teve um lance que foi o início da derrota alvinegra. Túlio aos 5 minutos sentiu a coxa em um lance e teve que ser substituído por Jônatas. Aos poucos o Fluminense foi equilibrando a partida embora não chegasse com perigo ao gol de Wilson. Elias chutou forte por cima do gol e Aloísio fez boa jogada pela esquerda e tocou para W. Nem que livre dentro da área errou o chute de perna direita. Na melhor chance tricolor no primeiro tempo, Rafael Sóbis aproveitou falha do zagueiro Édson Silva e na saída de Wilson chutou fraco e desperdiçou a oportunidade.
Veio o segundo tempo e logo aos 3 minutos Fred recebeu na entrada da área, ajeitou a bola e de pé esquerdo bateu cruzado para abrir o placar para o tricolor carioca. Imediatamente Jorginho chamou Fernandes para o lugar de Jônatas que também sentiu lesão. Não deu nem tempo de digerir o primeiro gol e o Fluminense chegou ao segundo aos 12 minutos, novamente com Fred, que aproveitou a falha de Wilson e Edson Silva em um cruzamento da esquerda e só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo do gol. O gol desastibilizou de vez o furacão e o apagão foi geral. Já fragilizado pelas ausências de Igor e Júlio César e as lesões de Túlio e Jônatas e mais a de Aloísio que se machucou também, o meio campo e ataque alvinegro perdeu força e marcação. Elias de fora da área ainda tentou criar um lance de perigo mas foi o time adversário que ampliou o placar. Aos 27 minutos Fred puxou contra-ataque pela esquerda, tocou para Deco que de primeira deixou Marquinhos na cara do gol, foi só escolher o canto e ir para ao abraço. Já no final, aos 40 minutos Fred recebeu novamente na cara de Wilson e só deu um toque para fechar o placar. Mesmo caindo de 4 em casa a torcida alvinegra continuou a apoiar o time e a cantar reconhecendo o momento no campeonato. Com a derrota o Figueirense caiu para quinto colocado mas continua a depender só de si para garantir uma vaga na Libertadores em 2012.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Flamengo x Figueirense - Lodetti, bate o pênalti !!!!


Alguém algum dia disse que o pênalti era tão importante que deveria ser batido pelo presidente do clube. Pois ontem no Engenhão a melhor chance do Figueirense no jogo, o pênalti sofrido por W. Nem, deveria então ter sido batido por Lodetti. Isso mesmo presidente, nesse momento importante da história do clube vai lá, calça a chuteira e estufa a rede para o alvinegro. Claro, isso é um desvaneio. O Figueira foi até o Engenhão e como vem fazendo no returno jogou muita bola.
No início o Flamengo assustou mais. Logo aos 2 minutos Léo Moura foi na linha de fundo e cruzou para Deivid que na cara-a-cara com Wilson chutou e o goleiro a queima roupa fez mais um de seus milagres. Em seguida aos 10 minutos o atacante Júlio César sentiu uma fisgada e foi substituído por Aloísio. Poucos minutos depois foi a vez de Thiago Neves receber na frente da área e chutar forte no canto, obrigando novamente Wilson a fazer grande defesa. A partir daí o Figueirense se acertou em campo e passou a tocar mais a bola para não ser pressionado muito. O Flamengo já não conseguia chegar ao gol alvinegro e isso foi irritando a torcida. Aos 29 minutos a melhor chance do Figueira no primeiro tempo. Bruno fez excelente jogada pela direita, entrou na área e cruzou; a bola sobrou para Elias que tocou atrás para Túlio que da entrada da área chutou colocado e a bola desviou na zaga e saiu pela linha de fundo. E o primeiro tempo terminou em vaias, com o Flamengo agredindo pouco e o Figueirense menos ainda.
O segundo tempo começou um pouco melhor para o Figueira, mas o grande problema era o meio campo que até tocava bem a bola mas pouco criava para os atacantes definirem. Consequentemente os atacantes tinham que vir buscar as jogadas e não chegavam com força ao gol adversário. Aos 11 minutos Jônatas entrou no lugar de Túlio e deu mais qualidade no toque de bola e aos 15 minutos tocou bem para Aloísio no meio que recebeu, esperou a passagem de W Nem, tocou a bola e o atacante foi derrubado na área pelo goleiro Paulo Sérgio. Na cobrança, Aloísio bisonhamente recuou para o goleiro. Mesmo com o pênalti perdido o Figueirense manteve a postura e continuava a tocar bem a bola, não dando espaços para o Flamengo criar jogadas ofensivas. Faltava no entanto mais qualidade para chegar ao ataque, já que o time ainda continuava a ter pouca força ofensiva. Aos 35 minutos Fernandes entrou no lugar de Elias, mas já para o final do jogo nada de novo aconteceu. O alvinegro conseguiu somar um ponto no Rio de Janeiro e manteve a incrível sequência de 14 jogos sem derrota e ainda abrindo 2 pontos do sexto colocado, se firmando na briga pela vaga da Libertadores. O próximo desafio será no domingo, contra o Fluminense as 19:00 hs.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Hoje é o DIA!


Hoje é o Dia! O Figueirense vai até o Rio enfrentar o Flamengo no Engenhão em um jogo que pode encaminhar o passaporte para a Libertadores. Caso o alvinegro ganhe, ficaria a 4 pontos do sexto colocado, e praticamente a uma vitória de realmente carimbar a ida para a competição Sulamericana. Por isso o jogo de hoje é uma verdadeira decisão, difícil mas não impossível. É mostrar a mesma postura tática dos últimos jogos, seguro na defesa e com velocidade para os contra-ataques, e assim o Figueira pode fazer mais um crime nesse campeonato. Vamos torcer para que o final seja feliz! Quebra tudo Figueiraaaaaaaaaaaaa

domingo, 13 de novembro de 2011

Figueirense x Atlético-MG - Novamente de virada, pra alegria da galera!

Depois da espetacular vitória diante do Botafogo no Engenhão, o Figueirense recebeu o Atlético-MG que ainda briga para não cair no Scarpelli, buscando se consolidar de vez no grupo da Libertadores. Um jogo importante porém não menos perigoso. O time do técnico Cuca vinha de três vitórias consecutivas e o afastamento do rebaixamento dava mais tranquilidade para trazer um bom resultado de Florianópolis.
O jogo começou um pouco morno. O Figueirense controlava a partida e tocava bem a bola mas faltava mais objetividade. O time adversário claramente veio disposto a se defender para achar um gol em algum contra-ataque ou através da bola parada. Embora dominasse quase todo o primeiro tempo foram os atleticanos que mais assustaram em alguns chutes perigosos. E a estratégia mineira deu certo no primeiro tempo. Aos 37 minutos o meia Daniel Carvalho bateu escanteio pela direita e o zagueiro Werley aproveitou e cabeceou para o gol de Wilson, abrindo o placar para o Atlético-MG. O gol serviu para o Figueira apressar o ritmo da partida e antes que o primeiro tempo acabasse criou duas jogadas de perigo. Na primeira aos 39 minutos Wellington Nem teve seu chute desviado em aos 43 minutos na melhor chance, Júlio César recebeu na área e bateu cruzado mas a bola foi para fora.
Para o segundo tempo o técnico Jorginho promoveu a entrada de Fernandes no lugar de Túlio. O time voltou com mais apetite ainda. Logo no primeiro minuto o time quase empatou com Elias. Aos 7 minutos um triangulação rápida entre Fernandes, Elias e Nem, baixinho recebeu em velocidade e de fora da área chutou forte, a bola tocou no montinho artilheiro e enganou o goleiro Renan, morrendo no fundo do gol. Com a igualdade no placar o Scarpelli começou a ferver e os jogadores foram contagiados pela torcida. Aos 18 minutos Fernandes de cabeça quase fez o gol da virada. Em seguida, Aloísio entrou no lugar de Elias. O time continuava ofensivo e o Atlético só se defendia. O tempo foi passando e o jogo ganhava em emoção. Wellington Nem sentiu a coxa e foi substituído por Héber. Já no final, aos 43 minutos, Bruno fez uma excelente jogada individual pela direita e bateu cruzado para o meio da área, Héber não dominou mas a bola parou no pé de Júlio César que dominou e caindo deu um biquinho para a bola morrer nos fundos da rede atleticana. Foi o gol da virada na hora certa. Nos últimos minutos o Atlético até tentou pressionar mas Édson Silva não deixou passar nada e o Figueirense garantiu a vitória. Com os 3 pontos o time chegou aos 56 pontos no campeonato e deve terminar a rodada no G4 da Libertadores. O próximo jogo será no Rio contra o Flamengo na quinta-feira.

domingo, 6 de novembro de 2011

Botafogo x Figueirense - Deu o alvinegro de SC!


Na noite desse sábado o Figueirense foi até o Engenhão enfrentar o Botafogo buscando novamente a vitória fora de casa para manter a invencibilidade de 11 jogos e encostar ainda mais no grupo que disputará a Libertadores em 2012. E a cada rodada que passa o alvinegro mostra que cresceu na hora mais importante do campeonato e que matematicamente até o título é possível de se alcançar.
O primeiro tempo foi muito equilibrado e começou com o adversário querendo intimidar com um ritmo de jogo forte e o Figueira como de praxe, bem postado e tentando encaixar o contra-ataque. E logo aos 5 minutos, na primeira chegada no ataque, Júlio César recebeu na meia direita, ajeitou para a perna esquerda e mandou um chutasso de fora da área marcando um golaço e abrindo o placar. O jogo ficou como o Figueira gosta mas logo depois o Botafogo quase empatou com Loco Abreu, que aproveitou falha de Roger Carvalho e chutou duas vezes de dentro da área, na primeira Wilson defendeu a queima roupa e na segunda, Roger Carvalho cortou para escanteio. Coutinho que entrou no lugar de Maicon não conseguia dar o equilíbrio necessário para o meio campo, apenas ajudava na marcação e na saída de bola, mas pouco criava com a bola nos pés, sobrecarregando o meia Elias. Mesmo assim, o Figueirense criou duas boas oportunidades no primeiro tempo novamente com Júlio César. Na primeira, recebeu na esquerda, entrou na área e já sem ângulo chutou em cima do goleiro Jefersson. Na segunda, a chance mais clara de ampliar o placar. Em tabelinha com Juninho no meio, o atacante entrou livre na área, driblou o goleiro mas chutou preensado com o zagueiro para fora. Com o time bem postado em campo o Botafogo enfrentava dificuldades para furar o bloqueio e apostou nas bolas aéreas. Na melhor chance do time da casa no primeiro tempo, Renato cobrou escanteio e o zagueiro Antônio Carlos cabeceou e a bola passou rente a trave esquerda defendida por Wilson.
Veio o segundo tempo e o time da casa voltou com o atacante Herrera e disposto a mudar a história do jogo logo no início. Faltava porém saber furar o bloqueio alvinegro. Os laterais estavam bem marcados e o meio fechado, por isso, o time carioca continuava a investir em cruzamentos para a área, mas Édson Silva estava numa noite inspirada e ganhava todas na cabeça. O Figueira abriu mão de atacar, embora tocasse bem a bola no meio campo. Aos 18 minutos veio um excelente chance quando Coutinho recebeu na direita e na lateral da área cruzou para Wellington Nem que deu um toquinho no canto mais o goleiro Jefersson fez a defesa. O Botafogo continuava a pressionar mas sem sucesso mas assustou em alguns lances, principalmente com Éverton que chutou por cima dentro da área aos 36 minutos e Loco Abreu que aos 45 ainda cabeceou e a bola bateu no travessão e saiu pela linha de fundo. Festa catarinense no Engenhão.
Com a vitória e Figueirense chegou aos 53 pontos e aos 12 jogos de invencibilidade. Agora é partir com tudo pra cima do Atlético-MG e buscar mais uma vitória para se consolidar mais ainda no grupo de cima da tabela e manter as possibilidades de alcançar a vaga para a Libertadores e quem sabe, o título do campeonato.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Figueirense x Bahia - Vai lá Fernandes, resolve pra nós

O Figueirense recebeu no Scarpelli o Bahia pela rodada de número 32 do Brasileirão. Depois da excelente vitória em cima do Palmeiras em São Paulo, o jogo contra a equipe baiana seria a chance de firmar de vez a briga pela Libertadores e também para a equipe comandada por Jorginho quebrasse mais uma marca em campeonatos brasileiros, o de número de partidas invictas.
E o jogo começou com o Figueira tocando a bola procurando espaços e o time adversário totalmente retrancado se preocupando somente em se defender. O vento forte e contra dificultava as ações ofensivas alvinegras e as principais jogadas vinham de chutes de fora da área, já que estava difícil entrar na defesa baiana. Já o time de Joel Santana, arriscava pouco e quando chegava era buscando o atacante Souza nas bolas aéreas, mas sem perigo já que o jogador ficava isolado entre os zagueiros Édson Silva e Roger Carvalho. A melhor chance do primeiro tempo veio aos 23 com Wellington Nem, que recebeu passe de Elias e na entrada da área chutou forte e cruzado mas a bola explodiu na trave do gol defendido por Marcelo Lomba. A bola na trave acordou a equipe baiana que tentou sair mais para o jogo e chegou com perigo no final do primeiro tempo mas Wilson, como sempre, na hora que precisou esteve presente.
Veio o segundo tempo e o técnico Jorginho não mudou a equipe e a etapa final começou da mesma forma, com o Figueirense tocando a bola buscando a infiltração na defesa baiana. Logo no início, aproveitando que agora o vento estava a favor, Elias chutou de fora da área e Marcelo Lomba fez boa defesa. Em seguida, Maicon sentiu a coxa e deu lugar a Fernandes. A partir daí o jogo ganharia em emoção. Com 9 minutos, em uma jogada confusa no ataque baiano, a bola sobrou para Diones que na entrada da área chutou, a bola desviou em Édson Silva e matou o goleiro Wilson que não conseguiu fazer a defesa. Um clima de apreensão se formou no Scarpelli, mas foi só o Figueira bater o meio campo para Fernandes avançar na meia direita e de muito longe chutar forte e cruzado, acertando o ângulo do gol baiano e empatando a partida. Se não foi o mais bonito, foi um dos gols mais bonitos esse ano no Scarpelli. Sorte de quem estava presente. O gol deu novo ânimo ao time e a torcida passou a jogar junto. Em seguida Fernandes novamente apareceu e deu passe para Júlio César que na área chutou mas o goleiro defendeu. Aos 23 minutos, foi a vez de Júlio César receber na direita e tocou para Fernandes que na entrada da área ajeitou a bola para o pé esquerdo e da meia lua chutou seco para virar a partida, marcando mais um golaço no jogo. A virada deu tranquilidade para o Figueira desenvolver seu futebol enquanto que o Bahia entrou no desespero e sem organização não conseguia criara oportunidades de perigo ao goleiro Wilson. Na melhor delas, um chute de fora da área passou próximo pela direita do gol alvinegro mas o placar não se alterou.
Com a vitória o alvinegro chegou aos 50 pontos e encostou de vez no grupo que briga pela Libertadores, ficando apenas a 2 pontos da tão sonhada vaga. O próximo jogo será muito importante para a reta final do campeonato já que o time vai até o Rio de Janeiro para enfrentar o Botafogo no próximo sábado para manter viva as chances de entrar para o torneiro Sulamericano em 2012.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Palmeiras 1 x 2 Figueirense - Botando na roda e quebrando tabu!


No sábado o Figueirense foi até o Canindé em São Paulo enfrentar o Palmeiras pela trigésima primeira rodada do brasileirão e não tomou conhecimento dos donos da casa, botou o time de Felipão na roda e quebrou mais um tabu na sua história.
O jogo começou com o Palmeiras confuso em campo e o Figueira organizado mandando na partida. O meio campo ia ditando o ritmo do jogo com Maicon, Túlio e Jônatas distribuindo bem as jogadas e fazendo os laterais Juninho e Pablo jogarem e logo nos primeiros minutos o atacante Júlio César já assustava ao receber na área e de pé direito chutar para fora. Em seguida, aos 10 minutos, Wellington Nem recebeu lançamentos de Jônatas na meia direita, foi em direção a área, entortou o zagueiro Henrique e de perna direita chutou forte no ângulo para abrir o placar para o Figueirense. A partir do gol o alvinegro tomou conta de vez do primeiro tempo. Quando o time acelerava o jogo, lances de perigo eram criados contra o goleiro Deola. Pelo menos três chances boas de aumentar foram desperdiçadas por Juninho, Maicon e Júlio César, e o Palmeiras pouco assustou o goleiro Wilson no primeiro tempo.
Veio o segundo tempo e o Palmeiras voltou um pouco mais disposto a buscar uma sorte melhor. Mesmo assim a primeira boa chance foi do Figueira com Júlio César que chutou e obrigou o goleiro a fazer grande defesa. A partir daí o alvinegro abriu mão de atacar e passou a ser mais pressionado pelo time da casa, que mesmo sem organização ainda conseguiu criar algumas oportunidades, principalmente com Valdívia, disparado o melhor jogador palmeirense em campo. Aos 30 minutos o Figueira usou seu golpe fatal. Novamente Nem foi lançado, dessa vez pelo lado esquerdo. O driblou o zagueiro, entrou na área e cruzou para Júlio César que dessa vez não desperdiçou e de pé direito concluiu para o gol e ampliou a vantagem no placar. Com o gol o Figueirense passou a cozinhar a partida enquanto que o Palmeiras foi perdendo força. Mesmo assim, no último lance do jogo já nos acréscimos, Tinga cruzou, a zaga só observou e Ricardo Bueno cabeceou para diminuiu o placar.
Com a vitória o alvinegro ficou a apenas 3 pontos da zona da libertadores. Agora o grupo se prepara para o próximo jogo que será no próximo domingo, no Scarpelli contra o Bahia, e a vitória fará com que o time enconste ainda mais nos primeiros colocados.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Figueirense x América-MG - Carimbando 2012

Depois de uma sequência excelente de resultados fora de casa diante do Ceará e do Grêmio o Figueirense recebeu o lanterna do Brasileirão, o América-MG, em um jogo que muitos poderiam achar que a vitória viria de lambuja. Pois o que se viu foi um jogo muito difícil, com um primeiro tempo duro de assistir e com um segundo tempo onde o técnico Jorginho conseguiu mudar a história da partida.
O jogo começou e diferentemente de outras partidas o alvinegro não partiu com tudo pra cima do adversário. Ficou tocando a bola no meio campo com paciência como se fosse decidir a partida a qualquer momento. Do lado adversário, um time fechadinho com muita vontade de mudar sua situação na tabela e com um toque de bola até certo ponto surpreendente. A primeira chance foi do time mineiro com Alessandro, que logo no início entrou na área mas chutou fraco em gol não levando perigo ao goleiro Wilson. O Figueirense não conseguiu criar chances de gol e também não apertava a marcação, facilitando o tuque de bola do América. Somente na metade do primeiro tempo é que o time conseguiu dar seu primeiro chute a gol com Júlio César. Aos 25 minutos o adversário novamente assustou com o lateral Thiago Carleta que de fora da área mandou um balaço que explodiu no travessão do goleiro Wilson. Pouco depois Juninho chegou na cara do goleiro Neneca mas não conseguiu finalizar para o gol.  Aos 36 minutos o América consegiu abrir o placar com Rodriguinho, que recebeu livre na entrada da área e chutou forte no alto deixando o time mineiro na frente no primeiro tempo.
Para o segundo tempo o técnico Jorginho sacou Elias e Túlio e colocou Fernandes e Pittoni respectivamente. O time melhorou em objetividade mas continuava tendo dificuldade na criação de jogadas e errando muitos passes. As melhores chances eram criadas em bola parada com Júlio César. Como última tentativa de mudar o placar, Jorginho sacou Maicon e colocou o atacante Aloísio em campo. A essa altura o América só se preocupava em se defender para segurar o resultado e logo depois que entrou Aloísio já cavou uma falta na entrada da área. Na cobrança, Júlio César bateu no contra-pé do goleiro e empatou a partida. A torcida passou a empurrar o time para virada e aos 37 minutos Pittoni bateu escanteio, Aloísio cabeceou fraco, a zaga se enrolou e Júlio César aproveitou para estufar a rede adversária e fazer o gol da vitória do Figueirense. O gol aliviou o Scarpelli, já que depois de boas apresentações fora de casa o time já apresentava dois meses sem vencer em casa, e o gol além de quebrar esse jejum também garantiu a permanência do time para o Brasileirão em 2012. O objetivo agora é garantir a vaga para copa Sulamericana e quem sabe ainda beliscar uma Libertadores para o ano que vem. De qualquer forma a campanha é muito boa e nessa volta à elite nacional o Figueirense teve um ano tranquilo. A próxima partida será no próximo sábado em São Paulo diante do Palmeiras.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Grêmio x Figueirense - TRIturando o Imortal!

Depois das besteiras e da superação diante do Ceará o Figueirense foi até Porto Alegre para novamente jogar mais uma partida fora de casa, dessa vez diante do Grêmio. Apesar do time viajar com três desfalques, o retrospecto diante da equipe gaúcha era extremamente favorável. Se tem um time que é freguês do Figueira esse time é o Grêmio. Pois novamente o alvinegro foi na casa do adversário e como de costume calou o Estádio Olímpico tri-turando o chamado imortal tricolor!
O jogo começou com o adversário indo pra cima do Figueira. Logo no primeiro minuto o meia Douglas bateu falta perigosa e Ygor conseguiu interceder. Minutos depois, Marquinhos bateu escanteio e em jogada na área o atacante André Lima chutou e Wilson fez boa defesa. O alvinegro foi aguentando a pressão do tricolor gaúcho e aos poucos foi tentando acertar os contra-ataques. Aos 33 minutos veio o primeiro gol. Pablo cruzou da direita na área, Wellington Nem tentou dominar e sem querer enganou o zagueiro, Aloísio vinha por trás e de frente para o gol encheu o pé abrindo o placar para o Figueira. Nem deu tempo do Grêmio pensar em reagir, em mais um contra-ataque rápido, Juninho avançou pela esquerda e deu um belo passe para Elias que corria pela direita; o meia recebeu, entrou na área trouxe a bola para o pé esquerdo e também chutou forte para marcar o segundo gol do Figueira na partida contando com a ajuda do goleiro Victor. Nos minutos finais do primeiro tempo o time da casa ainda esboçou uma reação e novamente Marquinhos Santos chutou da entrada da área e acertou a trave do goleiro Wilson.
Veio o segundo tempo e o Grêmio veio disposto a mudar a história do jogo. A equipe gaúcha pressionava o tempo todo porém não conseguia chegar com perigo à área alvinegra, e tentava na bola aérea criar alguma oportunidade de gol. Aos 24 minutos depois de tanto pressionar, Douglas cruzou da direita e Edcarlos entrou no meio da zaga e cabeceou para o gol diminuindo o placar. A torcida gaúcha se empolgou com o gol porém, pouco tempo depois, veio o lance mais bonito da partida e que seria também o golpe final no time do Grêmio. No primeiro contra-ataque bem tramado no segundo tempo, Wellington Nem recebeu a bola na meia direita e foi em direção ao gol, invadiu a área e deu um drible desconcertante em Gilberto Silva, ainda deixou o goleiro Victor no chão e quase sem ângulo marcou o terceiro gol do Figueirense na partida e calou o Olímpico de vez. O time da casa desmontou em campo e o alvinegro poderia ter feito o quarto gol em pelo menos três oportunidades, com Rhayner e Wellington Nem que não souberam aproveitar as chances criadas. Aos 44 minutos o Grêmio quase diminuiu mas o zagueiro JP Goiano tirou a bola em cima da linha.
Com a vitória o Figueirense chegou aos 41 pontos e novamente volta a sonhar com uma vaga na libertadores, embora ainda seja uma tarefa muito difícil. O próximo compromisso é sábado as 18:00 hs no Scarpelli contra o lanterna América-MG.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Ceará x Figueirense - Um time de heróis e de vilões

O Figueirense foi até Fortaleza enfrentar o Ceará no estádio do PV buscando se reabilitar do empate em casa diante do Coritiba. E ninguém poderia imaginar que o jogo teria sua história marcada por vilões e heróis.
O jogo começou com a equipe cearense se arriscando mais no ataque mas não se descuidando da defesa. O Figueira foi pressionado nos minutos iniciais mas aos poucos foi se encontrando em campo e passou a jogar de igual para igual com o time da casa praticando o já conhecido toque de bola no meio e avançando os laterais. Diante do equilíbrio da partida, poucas chances de gol eram criadas. O Ceará até conseguia chegar na área alvinegra principalmente em jogadas do habilidoso Osvaldo. Aos 15 minutos Thiago Humberto recebeu na área e mandou um chute forte cruzado de perna esquerda e a bola raspou a trave do goleiro Wilson. Aos 37 minutos Elias cobrou falta na meia direita e obrigou o goleiro adversário a se esticar todo para fazer a defesa com a bola já quase dentro do gol. Pouco depois, o Ceará foi ao ataque e em uma bola trabalhada na área, o atacante Washington deu uma meia bicicleta e Wilson fez um verdadeiro milagre, fazendo a defesa no canto direito. Aos 43 minutos o Figueirense encaixou um contra-ataque rápido e com velocidade e boa troca de passes, Elias achou Juninho entrando livre na lateral esquerda que ao entrar na área bateu cruzado abrindo o placar. O primeiro tempo já se encaminhava para o final quando na última jogada, o lateral Vicente foi na linha de fundo e cruzou na cabeça de Washington que não desperdiçou a oportunidade e empatou a partida nos acréscimos.
O segundo tempo veio e logo aos 3 minutos Júlio César sentiu um estiramento e foi substituído por Aloísio. Os dois times pouco criavam e o jogo se concentrava mais no meio-campo com poucas finalizações a gol. Aos 17minutos Maicon, que já tinha discutido em um lance anterior com o juiz, demorou a bater um escanteio e tomou o segundo amarelo, sendo expulso da partida. A partir daí as coisas começaram a ficar difíceis. O time ainda tentava se encontrar em campo mas apenas 7 minutos depois Bruno fez uma bonita jogada e ao entrar na área se jogou. Como já tinha amarelo, também levou o segundo e foi expulso. Com dois jogadores a menos ainda na metade do segundo tempo, só restava ao Figueirense se defender para segurar o empate. O time soube se fechar bem na linha de defesa e o Ceará pouco conseguiu criar para virar a partida. Na melhor oportunidade o zagueiro Fabrício chutou na entrada da área mas Wilson novamente fez uma excelente defesa.
O empate foi heróico e o alvinegro somou mais um pontinho na classificação chegando aos 39 pontos. Agora o time enfrenta o Grêmio no Olímpico na quarta-feira, as 16 hs e tem os desfalques de Júlio César contundido e Maicon e Bruno expulsos.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Figueirense x Coritiba - Faltou tempero

Depois da histórica vitória em cima do Santos na Vila Belmiro o Figueirense recebeu o Coritiba no Scarpelli buscando manter a sequência de vitória para assim subir na tabela e encostar nos times que buscam uma vaga na libertadores.
A partida começou e o início não foi nada bom. Os dois times tocavam a bola mas com pouca objetividade, se arriscando pouco para não expor a defesa. As jogadas ofensivas eram construítas na base dos lançamentos e que, quase sempre saíam errados e com isso poucas chances eram criadas. Aos poucos o Coritiba adiantou a marcação e passou a trabalhar melhor as jogadas. Léo Gago enfiou excelente bola para Tcheco que tocou na saída de Ricardo e a bola passou rente a trave assustando a torcida alvinegra. O Figueira teve duas boas oportunidades no primeiro tempo. Na primeira delas, Wellington Nem recebeu na direita e cruzou para Ygor que de cabeça quase abriu o placar. Em seguida, Júlio César bateu falta na intermediária e o goleiro Vanderlei se esticou todo para fazer a defesa no ângulo.
Veio o segundo e Jorginho tirou o garoto Deretti e colocou o atacante Somália. Teoricamente o time ficaria mais ofensivo, mas na verdade perdeu foi em qualidade no meio campo. O segundo tempo foi um replay piorado do primeiro. Muita correria e quase nada de criatividade. O meio campo não conseguia criar as jogadas e os jogadores de frente, principalmente Wellington Nem, abusaram do individualismo. O tempo foi passando e nada acontecia, deixando o torcedor irritado. Praticamente não se concluiu a gol no segundo tempo.
Com o empate o Figueirense chegou aos 37 pontos e caiu para a décima primeira posição, ficando agora a 7 pontos da zona de classificação da libertadores. A próxima partida agora é no domingo, diante do Ceará, fora de casa.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Santos x Figueirense - Fazendo história!

No sábado o Figueirense reencontrou o caminho da vitória e justo na Vila Belmiro, lugar onde nenhum catarinense tinha vencido antes, diante do campeão da América, o Santos. Foi uma vítória em alto estilo, com V maíusculo para não deixar dúvidas quanto ao futebol jogado.
O alvinegro foi até Santos com um time bem desfalcado, sem Wilson, Maicon, Elias, Fernandes e Túlio. Com isso o técnico Jorginho promoveu a estréia do destaque da equipe júnior, o jovem Jean Deretti no meio-campo. Logo aos 7 minutos Júlio César mostrou seu cartão de visitas. Em cobrança de falta em frente a área o atacante bateu, a barreira abriu e o goleiro Rafael não conseguiu fazer a defesa e a bola morreu no fundo das redes. O gol deu tranquilidade ao Figueira que controlava o jogo no já tradicional toque de bola no meio-campo. O Santos tentava pressionar mais não conseguia chegar na área e foi de fora da área que conseguiu o empate. O artilheiro Borges aos 24 minutos recebeu na frente da área, dominou a bola e chutou forte no canto do goleiro Ricardo que não conseguiu fazer a defesa. Nem deu tempo do Santos comemorar direito, minutos depois o Figueirense encaixou um contra-ataque rápido e Wellington Nem foi lançado e partiu do meio campo livre em direção a área adversária e na saída do goleiro Rafael tocou no canto direito do goleiro colocando novamente o alvinegro na frente do placar. O time da casa aí foi com tudo pra cima tentando o empate antes do final do primeiro tempo. Ricardo fez defesa milagrosa em chute a queima roupa do artilheiro Borges. O primeiro tempo ia se encaminhando para terminar com uma bela vitória do Figueira quando no último minuto Ricardo bateu tiro de meta para Juninho que tentou saír jogando e deu um contra-ataque para Felipe Anderson que entrou na área e cruzou para Léo que entrava no lado oposto e de primeira chutou cruzado para empatar novamente a partida.
Veio o segundo tempo e o time da casa voltou disposto a buscar logo a virada no placar. O Figueirense manteve uma postura mais defensiva para apostar nos contra-ataque rápidos puxados por Nem e Júlio César. Juninho sentiu o erro no final do primeiro tempo e não voltou bem do intervalo. Jorginho foi perceptível e sacou o lateral colocando Hélder no seu lugar. Em seguida foi Rhayner que entrou no lugar do jovem Deretti, que fez uma boa estréias no time profissional. O Santos criou duas boas oportunidades com Borges que de dentro da área concluiu duas jogadas com bastante perigo ao gol de Ricardo. Bruno recebeu pancada na cabeça e também deixou o campo dando lugar a Jônatas. Com as substituições o Figueirense tentava valorizar a posse de bola para ganhar tempo e não deixar o Santos pressionar. Aos 38 minutos o alvinegro encaixou um contra-ataque com Wellington Nem que recebeu a bola, invadiu a área e foi derrubado por Léo. Na cobrança Júlio César bateu forte e rasteiro não dando chances ao goleiro e dando a vitória ao Figueira. O Santos ainda tentou pressionar mas o time estava bem organizado em campo e não deu mais chances ao azar, saíndo da Vila Belmiro com os 3 pontos na bagagem. Com a vitória o técnico Jorginho terá mais tranquilidade para armar o time que enfrenta o Coritiba no próximo domingo no Scarpelli.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Figueirense x Internacional-RS - Ganhamos um ponto

Figueirense e o colorado gaúcho fizeram na noite de ontem um excelente jogo, com bastante movimentação, bonitos gols, lances de perigo, toque de bola e até mesmo com chegadas mais fortes. Um jogo típico de série A com os dois times buscando a vitória sem medo de ser feliz. O jogo foi marcado também pelas contusões de dois dos principais jogadores das duas equipes.
Logo de início o alvinegro tentou imprimir um ritmo forte mas a equipe gaúcha começou melhor, com um meio-campo bem postado e tocando a bola com o apoio constante dos alas, porém não demorou muito para o Figueira ir se ajeitando, Maicon encontrou seu espaço para jogar e Fernandes tentava fazer a criação das jogadas próximo da área. No primeiro ataque alvinegro, logo aos 2 minutos, Júlio César achou Héber na frente que na entrada da área chutou forte ao lado do gol defendido por Muriel. O Inter assustou duas vezes, na primeira com Damião escorando cruzamento para fora e na segunda com Guiñazu que chutou forte de fora da área e Wilson espalmou afastando a bola. O time visitante tocava bem a bola mas era o Figueirense que começou a buscar mais o jogo e o gol. O atacante Héber teve mais duas chances para abrir o placar. Na primeira, Bruno cruzou e o atacante cabeceou para o chão obrigando o goleiro a fazer boa defesa e na segunda, foi Juninho que deu um excelente cruzamento mas o jogador não aproveitou e cabeceou para fora. Aos 18 minutos o Figueira teve sua baixa. Fernandes recebeu lançamento na esquerda, deu o pique e antes de chegar na bola puxou a perna sentindo o músculo. O meia pediu para ser substituído e deixou o campo chorando sendo aplaudido pela massa alvinegra e recebendo o consolo de todos os atletas do banco e comissão técnica e deu lugar a Pittoni. Aos 24 minutos foi a vez de Leandro Damião deixar o campo sentindo também o músculo da coxa. Aos 38 minutos após bola alçada na área do Inter, Ygor pegou o rebote fora da área e de primeira mandou um chutaço e a bola entrou no canto esquerdo do goleiro, um bonito gol que abriu o placar para o Figueirense. Antes de acabar o primeiro tempo o Internacional teve boa chance com Oscar que entrou na área pelo lado direito mas a zaga conseguiu afastar o cruzamento e impedir o gol adversário.
O alvinegro voltou para o segundo tempo mais lento que o primeiro. O Inter sentiu a oportunidade e foi com tudo pra cima e aos 5 minutos, após uma rara falha individual do zagueiro Édson, o atacante Jô pegou o rebote deu um bonito chute para empatar a partida. O Figueira sentiu o gol e o time passou a ser mais pressionado pelo menos até a metade da etapa final. Maicon foi novamente achando seu espaço e aos poucos o time voltou a agredir o adversário. Sentindo o momento Jorginho colocou Somália no lugar de Héber mas o atacante pouco fez. O Figueira teve boas chances com Maicon, Coutinho e Júlio César mas não conseguiu aproveitar. Já o Inter teve uma chance de ouro com o jovem Oscar que recebeu cruzamento e na cara de Wilson tocou por cima mas o goleirão alvinegro mostrou que voa como um gavião e fez a defesa a queima roupa. Em duas jogadas parecidas, tanto Bollatti quanto Juninho que já tinham cartão amarelo poderiam ser expulson em chegadas atrasadas no adversário mas o árbitro preferiu administrar a situação. Um fato ainda iria marcar a partida de ontem. Já no final do jogo Maicon recebeu o terceiro cartão amarelo em um lance por reclamação o que causou a revolta de Jorginho no banco de reservas, já que para o próximo jogo o Figueirense já não poderia contar com Elias e Fernandes que saiu do campo machucado. Em seguida o treinador trocou Maicon por Hélder e parte da torcida não gostou e xingou e chamou o treinador de burro. O curioso foi que outra parte da torcida começou a xingar os torcedores que tinham se manifestado contrário ao treinador. E assim terminou o jogo, com mais um empate alvinegro mas diante do que aconteceu na partida podemos dizer que ganhamos um ponto. O problema é a sequência que não é boa já que é o quarto empate seguido, além de ser o quinto jogo sem vitória. Agora o time enfrenta no sábado o Santos na Vila Belmiro e não se sabe como Jorginho vai escalar a equipe devido as baixas no elenco. Do jeito que vai para Santos o empate, apesar da sequência ruim, não será um mau resultado, mas é importante o alvinegro encontrar logo o caminho da vitória para não começar a figurar muito na parte de baixo da tabela.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Atlético-PR x Figueirense - 0 a 0 muito sem graça

O Figueirense foi até Curitiba enfrentar o Atlético-PR buscando manter o bom retrospecto fora de casa, mas principalmente reencontrar o caminho da vitória. Bem, esse era o discurso, porque dentro de campo o time mostrou uma postura não tão agressiva e parecia não querer fazer muito esforço para ganhar o jogo. O técnico Jorginho entrou com Hélder na lateral esquerda no lugar de Juninho, Jônatas, Coutinho, Maicon e Fernandes na meia e no ataque Wellington Nem e Júlio César.
No primeito tempo o alvinegro teve as melhores oportunidades de abrir o placar. Fernandes, Wellington Nem e Roger Carvalho tiveram boas chances mas não souberam aproveitar para abrir o placar. O Atlético-PR chegou principalmente atavés de bola parada e a criatividade mostrada pelas duas equipes no primeiro tempo ficou abaixo da expectativa.
O segundo tempo veio e logos aos 10 minutos Jorginho já mostrou como seria a postura do time para o segundo tempo e sacou Fernandes para a entrada de Rhayner. O gramado muito ruim prejudicava os dois times e mesmo assim o Figueira teve suas chances de abrir o placar. A time da casa continuava buscando solução nas bolas paradas, principalmente com Paulo Baier que entrou no intervalo. Na melhor oportunidade do alvinegro no segundo tempo, Aloísio recebeu no campo de defesa, passou por entre os zagueiros e foi livre em direção ao gol, porém na entrada da área o atacante sentiu a falta de ritmo e na velocidade perdeu para a zaga que conseguiu se recuperar e evitar o gol. Ainda deu tempo de Júlio César completar duas vezes jogadas mas o jogo realmente não iria sair do placar em branco.
O Figueirense chegou aos 32 pontos e vai completando o campeonato a passos de tartaruga. O próximo desafio será o Intenacional-RS no Scarpelli na quarta-feira.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Figueirense x Vasco - Volta Fernandes!

O Figueirense recebeu o Vasco no Scarpelli por mais uma rodada no Brasileirão tentando quebrar a série de jogos sem vencer em casa. O adversário veio sem alguns desfalques importantes na equipe como o meia Juninho Pernanbucano e o atacante Alecssandro, e pelo lado alvinegro, apesar das especulações da semana apenas o meia Maicon e o atacante Júlio César que já estavam contudidos acabaram desfalcando a equipe.
E o jogo começou com o Figueira indo pra cima do Vasco e criando boas oportunidades. Logo aos 2 minutos Elias de fora da área chutou forte mas o ventro contra facilitou a defesa do goleiro Fernando Prass. Aos 4 minutos Elias cobrou falta, Roger Carvalho cabeceou, houve um bate-rebate na área, Ygor chutou e a bola sobrou para Wellington Nem que completou para o gol abrindo o placar para o alvinegro. Parecia que a vitória viria com facilidade, o Figueirense mostrava o bom toque de bola no meio campo apesar de Pittoni que substituía Maicon errava muitos passes e tinha dificuldade de inverter as jogadas. Aos poucos o Vasco foi crescendo na partida e se soltando no jogo, passando a sair mais da linha defensiva. Aos 16 minutos o lateral Fagner recebeu na direita ne no bico da área chutou cruzado, a bola foi passando por todo mundo e Wilson ficou esperando algum toque e quando pulou a bola já tinha morrido no fundo das redes. O chute foi defensável mas o goleiro ficou esperando por um toque que não aconteceu e quando tentou fazer a defesa já era tarde, então acho que houve falha do Wilson mas também da linha de defesa toda porque não conseguiram tirar o chute do lateral.  Com o empate o time adversário cresceu na partida e passou a dominar o meio campo. Túlio saiu machucado e deu lugar a Jônatas. Pittoni passou a errar todos os passes possíveis e Elias ficou parado na marcação vascaína, então o jogo ficou amarrado e com poucas jogadas sendo criadas. O Vasco teve ainda no primeiro tempo dois gols anulados, sendo que o primeiro é muito discutível, já o segundo ficou claro que Diego Souza carregou a bola com o braço na saída do goleiro Wilson. Fora isso, mas nada ocorreu na primeira etapa.
Veio o segundo tempo e o que se viu foi um verdadeiro horror. Começou pela arbitragem que passou inverter tudo quanto é lance e aos dois times que tecnicamente passaram a errar muito. Pelo lado do Figueirense o meio campo não conseguia trocar três passes seguidos. Pittoni continuava a errar quase tudo, Elias continuava apagado, Somália não ganhava uma jogada no ataque e o rendimento dos laterais (o setor que funcionou mais no primeiro tempo) caiu bastante no jogo. Assim o Vasco domigou mais o segundo tempo embora não criasse muitas situações de perigo ao gol alvinegro. Demorou para Jorginho perceber que o jogo pedia alguém que tivesse mais qualidade e fizesse o time jogar e somente na metade do primeiro tempo Fernandes entrou no lugar do apagado Elias. A partir daí o time melhorou um pouco. Fernandes deu mais qualidade no toque de bola e o time passou a jogar melhor e tentou explorar as bolas aéreas com Somália mas as tentativas não tiveram efeito. Assim como no jogo diante do Atlético-GO quando o alvinegro jogou sem Maicon que o time sente a carência de uma melhor qualidade no meio campo, mas Jorginho já mostrou por diversas vezes que não conta muito com o ídolo alvinegro. O Figueira é o único time dos 20 que disputam o brasileirão que deixa seu camisa 10 no banco. Aos 47 minutos o Vasco encaixou uma troca de passes em frente a área e Diego Souza recebeu cara-a-cara com o goleiro Wilson que fechou bem o ângulo e fez a defesa garantindo o empate na partida.
O Figueirense agora descansa na semana e joga somente no próximo domingo em Curitiba, diante do Atlético-PR.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Atlético-GO x Figueirense - Sem graça!

O Figueirense foi até Goiânia enfrentar o Atlético local pela terceira rodada do returno do Brasileirão. Devido as ausências de Maicon no meio campo e Júlio César no ataque, o técnico Jorginho optou pelas entradas do volante Coutinho e do atacante Somália respectivamente. Pela escalação inicial já dava pra se imaginar qual seria a postura do time.
Para surpresa o alvinegro começou bem o jogo criando algumas oportunidades no início e abrindo o placar aos 10 minutos do primeiro tempo. Em uma saída de bola errada da zaga do dragão, Somália tocou rápido para Bruno que na entrada da área tocou para Wellington Nem que na frente do goleiro completou para o gol. Aberto o placar parecia que as coisas ficariam ainda mais fáceis porém, aos 14 minutos o time da casa conseguiu o empate em uma jogada que já é marca registrada da defesa do Figueira nesse campeonato. Bida cobrou falta ao lado da área, Wilson falhou e Agenor já quase dentro do gol tocou de cabeça igualando o placar. A partir daí pouca coisa aconteceu e o jogo começou a ficar sem graça. Os dois times erravam muitos passes no meio campo e não conseguiam chegar no gol adversário. Wilson evitou a virada do Atlético fazendo uma boa defesa em chute forte de Bida e pelo lado do Figueira Somália teve sua chance chutando de primeira um cruzamento e obrigando Márcio a fazer boa defesa.
Veio o segundo tempo e a princípio a única coisa que mudou foi a zaga alvinegra com Roger Carvalho entrando no lugar de JP Goiano. O Figueira voltou com uma postura ainda mais recuada e o Dragão do cerrado foi pra cima criando boas oportunidades no início do segundo tempo mas não conseguindo ampliar o placar. Aos 14 minutos Bruno sentiu desgaste e Hélder entrou em seu lugar, com Juninho indo para o meio e Coutinho para a lateral direita. Nada na partida mudou, o time da casa perdeu força ofensiva e o Figueirense não tinha muita vontade de decidir o jogo. Aos 19 minutos Somália recebeu na cara do goleiro mas chutou bisonhamente fraco. Aos 33 minutos Elias cobrou falta no travessão e no final foi a vez do goleiro Márcio cobrar falta para o Atlético e quase fazer o gol da virada.
O Figueira volta para Florianópolis com um ponto na bagagem, chega aos 30 pontos no campeonato mas ficou um gostinho de que a vitória seria possível se novamente não houvessa falha do sistema defensivo e se uma dose a mais de ousadia tivesse sido aplicada no jogo. Agora é descansar e se preparar para receber o Vasco no domingo no Scarpelli.

domingo, 4 de setembro de 2011

Figueirense x São Paulo - Um replay de outros jogos!

Depois de uma excelente vitória fora de casa diante do Cruzeiro o Figueirense recebeu o São Paulo no Scarpelli pela segunda rodada do returno do Brasileirão. O tricolor paulista desceu em Fpolis cheio de desfalques e era uma boa oportunidade para o alvinegro vencer e encostar mais ainda na parte de cima da tabela. Porém, como nos últimos jogos realizados em casa, o time jogou, criou, desperdiçou, falhou e acabou saindo derrotado novamente. Com o volante Túlio suspenso o técnico Jorginho surpreendeu e escalou Jônatas no meio.
Como normalmente acontece jogando no Scarpelli, o Figueira foi pra cima do adversário e dominou o início da partida. A principal oportunidade foi criada aos 10 minutos quando Juninho chutou cruzado e Maicon chegou atrasado na bola já cara-a-cara com o goleiro. Logo em seguida Maicon fez jogada na entrada da área e tocou para Júlio César que ajeitou a bola e de perna esquerda carimbou a trava direita de Rogério Ceni. O gol parecia estar amadurecendo já que o Figueirense pressionava e o São Paulo pouco chegava ao gol de Wilson. Na metade do primeiro tempo o meia Maicon (que entrou no sacrifício) sentiu a coxa e foi substituído por Leandro Chaves. A partir daí a coisa passou a desandar. O jogador entrou muito mau no meio campo alvinegro e o time perdeu a força ofensiva. O São Paulo aos poucos foi crescendo em campo e passou a chegar mais ao gol de Wilson mesmo assim o tricolor assustava mais nas bolas paradas. E foi assim que o placar foi aberto. Já no final do primeiro tempo aos 42 minutos, Carlinhos Paraíba bateu falta na meia esquerda e na confusão da pequena área a bola bateu em JP Goiano e entrou. Novamente o Figueira tomava um gol de em bola alçada na área e o primeiro tempo fechou com a vitória parcial do São Paulo.
Veio o segundo tempo e Jorginho corrigiu a desastrosa substituição sacando Leandro Chaves e colocando o atacante Somália. A substituição deu certo logo de cara, aos 4 minutos. Elias cobrou escanteio, Somália ganhou na cabeça da zaga e ajeitou para Edson Silva que dominou esquisito e a bola sobrou para JP Goiano que chutou para empatar a partida. Com o gol a torcida tentou empurrar o time para a vitória porém, aos 15 minutos veio o balde de água fria. Em bela jogada do ataque tricolor Rivaldo recebeu livre na frente de Wilson e com categoria tocou por cima do goleiro fazendo o segundo gol do São Paulo na partida. Novamente atrás do placar o técnico Jorginho tentou alguma coisa tirando Wellington Nem e colocando Fernandes. O time martelou, tentou mas não conseguiu criar nenhuma jogada com sucesso. Para piorar as coisa Jônatas e Júlio César se machucaram e tiveram que continuar na partida porque o técnico já tinha queimado todas as substituições. Assim, faltou força para o alvinegro tentar uma melhor sorte na partida. Com a derrota o Figueira parou nos 29 pontos e está a mais de um mês sem vencer no Scarpelli. Na próxima rodada o time viaja até Goiânia onde enfrenta o Atlético-GO. Para piorar a situação o DM vai ter pouco tempo para recuperar os jogadores para essa partida.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Cruzeiro x Figueirense - Ah se tivesse sido assim no domingo!

Após a derrota em casa no clássico do último domingo o Figueirense foi até Ipatinga enfrentar o Cruzeiro pela segunda rodada do returno do Brasileirão. Como diz o ditado, "depois da tempestade, vem a bonança". O alvinegro foi lá em Minas e se aproveitou de algumas ausências na equipe adversária e  fez a raposa cair de 4, se recuperando no campeonato em grande estilo.
O jogo começou com a equipe mineira indo pra cima do Figueira e assustando no início. Aos 5 minutos em cobrança de Roger para a área, Wilson intercedeu mau e a bola parou no pé do zagueiro Léo que carimbou a trave e desperdiçou a oportunidade. Em seguida, novamente o Cruzeiro assustou Wilson em conclusão por cima do gol já dentro da área. A partir daí o Figueirense tomou conta da partida. O meio campo foi tocando a bola e aproveitando os contra-ataques. Em jogada individual, Elias recebeu na meia intermediária, e mandou um canhão que passou raspando a trave direita do goleiro Rafael. Aos 28 minutos Júlio César abriu o placar. Wellington Nem fez boa jogada na lateral direita e na entrada da área tocou para o atacante que chegou chutando de perna direita e estufando a rede adversária. A raposa sentiu o gol e em um contra-ataque de velocidade veio o segundo gol aos 34 minutos. Maicon recebeu na área e concluiu para o gol; o goleiro fez a defesa parcial e no rebote Elias chutou no canto esquerda de fora da área e sem chances para Rafael que nada pôde fazer. Com a vantagem no placar o alvinegro deu uma relaxada e tomou um gol bobo aos 37 minutos. O meia Charles recebeu livre na área, a marcação abriu e ele chutou forte cruzado marcando o primeiro gol do time mineiro. Antes que acabasse o primeiro tempo Elias teve uma última oportunidade de ampliar o placar ao receber livre na área e chutar em cima da zaga cruzeirense, finalizando o primeiro tempo com a vitória parcial de 2 a 1 para o alvinegro.
O segundo tempo veio e o Figueirense voltou ainda mais arradador. Logo aos 5 minutos Wellington Nem roubou a bola do zagueiro no meio e foi carregando até chegar na pequena área e tocar na saída do goleiro ampliando a vantagem no placar. Nem deu muito tempo do Cruzeiro digerir o terceiro gol e o alvinegro ampliou apenas 7 minutos depois. Júlio César tabelou com Túlio na entrada da área, recebeu e estufou as redes deixando a raposa de quatro. Aos 15 minutos a equipe adversária esboçou uma reação novamente com Charles que de fora da área acertou o canto direito do goleiro Wilson. A partir daí o Cruzeiro se lançou para o ataque tentando diminuir a vantagem e conseguiu pelo menos um empate mas o Figueira estava bem postado em campo sem dar muita chance para o adversário. Com o resultado o alvinegro vai com moral pra cima do São Paulo sábado, no Orlando Scarpelli.


domingo, 28 de agosto de 2011

Figueirense x Avaí - Ressucitando defundo...vergonha!

O Figueirense recebeu seu maior rival no Orlando Scarpelli para o primeiro clássico da era dos pontos corridos. O time vinha confiante depois da vitória na casa do líder Corinthians na última rodada enquanto que o rival tentava juntar os cacos durante a semana. Uma vitória deixaria fecharia muito bem o turno do Figueira, deixando o time próximo da zona de classificação para a libertadores e ainda afundaria ainda mais o adversário. Pois mesmo com todos os prognósticos a favor, pela segunda vez no ano o Figueirense sucumbiu para o maior rival dentro de casa, ressucitando novamente da cova o difunto Avaí. É impressionante como o time consegue transformar um jogo fácil em difícil. Assim como no catarinense, nessa partida todos sabiam qual seria a única arma avaiana do jogo e mesmo assim o time comandado por Jorginho deu mole deixou com que o atacante Willian desse a vitória para o Avaí.
O jogo começou com o alvinegro dominando a partida nos primeiros 20 minutos. Jorginho surpreendeu na escalação e optou por Elias no meio e Wellington Nem na frente ao lado de Júlio César, deixando Fernandes no banco. Assim, do meio para frente o time era todo formado por canhotos. Naturalmente as principais jogadas saíam mais pelo lado esquerdo ataque. Novamente maicon era o encarregado por organizar e fazer o meio-campo rodar, com liberdade para acionar os laterais e atacantes do Figueira. Nos minutos iniciais o goleiro Felipe já tinha visto seu gol ser ameaçado por Elias, Júlio César e até o zagueiro Édson que perdeu oportunidade na pequena área. Aos 15 minutos no primeiro ataque adversário veio um susto com Acleisson que de fora da área carimbou o travessão do gol defendido por Wilson. Apenas 3 minutos depois Maicon bateu escanteio e Igor cabeceou na trave; na volta a bola bateu no goleiro Felipe e morreu dentro do gol. Na frente do placar o jogo estava para o alvinegro. Aos 25 minutos, Bruno fez jogada pela direita e cruzou para Júlio César que dentro da área dominou e tocou no meio das pernas de Pedro Ken, que derrubou o atacante alvinegro. Pênalti marcado. Na cobrança, o próprio Júlio César foi para a bola e acabou chutando para fora, desperdiçando uma grande oportunidade de ampliar o placar e quem sabe, definir a partida logo nos primeiros minutos. O Figueira sentiu a perda do pênalti. O time que estava num ritmo forte deu uma esfriada na partida e aos poucos o Avaí foi ganhando confiança. Arlan aproveitou bem os apoios de Juninho e soube jogar nas costas do lateral. Em um cruzamento perigoso, o lateral avaiano achou Lincon na área que cabeceou no canto obrigando Wilson a se esticar todo e fazer difícil defesa. Apenas 5 minutos depois, um replay da jogada avaiana. Novamente o lateral Arlan apoiou nas costas de Juninho e cruzou para Lincon que dessa vez não desperdiçou e cabeceou no contra-pé de Wilson, empatando a partida. Impressionante como o time não teve percepção de jogo. O gol de empate foi praticamente idêntico à jogada anterior e mesmo assim houve a falha no sistema defensivo alvinegro. A igualdade no placar parece ter acordado o Figueirense. O time se concentrou e voltou a impôr seu ritmo de jogo. Aos 44 minutos Elias tocou na lateral da área para Juninho que cruzou na pequena área para Júlio César; o atacante chutou em cima de Felipe, no rebote chutou no travessão e por sorte a bola voltou novamente a seus pés e ele acabou completando para o gol e o primeiro tempo terminou com o Figueira na frente do placar.
O segundo tempo começou da forma que terminou o primeiro, com o alvinegro mandando no jogo. Logo aos 4 minutos Júlio César desperdiçou a chance de se tornar "o cara" do jogo. Maicon deu excelente passe para o atacante que na saída do goleiro Felipe tocou por cima do gol perdendo novamente uma grande oportunidade de ampliar o placar. Pouco depois Maicon fez bela jogada na frente da área e acabou chutando para fora. O Figueira dominava a partida, mas em mais uma escapada pela direita, o lateral Arlan passou por Juninho e na linha de fundo tocou para Willian que veio por trás da zaga e empatou a partida. Jorginho mexeu no time e colocou Fernandes no lugar de Elias e Pittoni no lugar de Túlio. O Avaí recuou ainda mais, porém o jogo estava em aberto e qualquer um podia definir a partida. Logo depois, Somália entrou no lugar de Wellington Nem e o Figueirense foi para o tudo o nada. Aos 28 minutos Júlio César recebe na área, bate cruzado mas Somália acaba chegando atrasado. Em seguida Fernandes faz bela jogada na direita e chuta na entrada da área de perna esquerda obrigando Felipe a fazer grande defesa. Aos 40 minutos uma jogada mostrou o que foi a partida. Em bola na área, houve um bate-rebate incrível e em uma única jogada o goleiro avaiano salvou a queima-roupa, o zagueiro tirou em cima da linha, a bola sobrou e o Figueira perdeu em baixo do gol  e na continuação o zagueiro Édson Silva cabeceou na trave. Como diz o ditado, quem não faz leva. Apenas 1 minuto depois, o Avaí bateu falta na meia direita e Willian sozinho na área nem precisou pular para de cabeça marcar o gol da vitória avaiana. O Figueira ainda tentou o empate mas sem organização não conseguiu chegar ao gol adversário. Novamente o time cai dentro de casa para o maior rival e agora tem pouco tempo para digerir a derrota já que quarta-feira vai até o Ipatingão enfrentar o Cruzeiro.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Corinthians x Figueirense - Chupa Juca!

No sábado o Figueirense foi até a capital paulista enfrentar o líder do campeonato, o Corinthians. Com a confusa derrota no meio de semana para o Fluminense, um resultado positivo diante da equipe paulista seria importante para que o time se recuperasse na tabela e para dar uma tranquilidade maior ao clássico que será disputado no próximo final de semana. Como de praxe a imprensa paulista dava como certa a vitória corintiana já que era pouco provável que o líder do campeonato fosse perder pontos em casa para o Figueira, como podemos ver no blog do famoso especialista esportivo Juca Kfouri (http://blogdojuca.uol.com.br/2011/08/em-manutencao/) . E agora? Chupa Juca Kfouri!
Pois bem, o jogo começou e o Figueirense foi dando as cartas da partida. Jorginho surpreendeu na escalação e armou um time com Igor, Túlio, Maicon, Fernandes e Wellington Nem no meio, deixando apenas Júlio César no ataque, com uma aproximação dos meias alvinegros. E assim o Corinthians foi dominado nos primeiros quinze minutos de jogo, com o meio campo tocando e rodando a bola deixando a equipe paulista confusa na marcação. Assim, o Figueira criou sua primeira jogada de perigo quando Fernandes tocou para Wellington Nem que de primeira devolveu para o meia já dentro da área, mas o goleiro Júlio César mais rápido chegou abafando a perigosa jogada alvinegra. A partir daí o Corinthians se achou em campo e passou a dominar mais a partida. O Figueira, bem postado defensivamente não deixava que a equipe adversária concluísse à gol e tentava alguma jogada ofensiva nos contra-ataques. Aos 13 minutos o meia Alex foi derrubado próximo da área e o zagueiro Chicão cobrou a falta e carimbou o travessão do gol defendido por Wilson. O Corinthians continuou rondando a área alvinegra mas sem levar perigo algum. Aos 34 minutos o Figueirense encaixou uma jogada mortal. Juninho tocou para Fernandes na esquerda e o meia lançou para Júlio César no meio da zaga adversária. O atacante foi na linha de fundo e cruzou para Wellington Nem que chegou livre para completar a jogada e abrir o placar da partida. O gol deu tranquilidade para o time e passou mais ansiedade para a torcida corintiana que terminou o primeiro tempo preocupada.
Veio o segundo tempo e o Figueirense voltou com a  mesma formação do início da partida. O Corinthians veio um pouco mais ofensivo com o atacante Émerson no lugar do lateral esquerdo Welder. A proposta do alvinegro foi clara, defender o resultado e se possível sair no contra-ataque para matar a partida. Assim como em parte do primeiro tempo, o time paulista dominava a partida mas pouco concluía a gol. O goleiro Wilson pouco foi exigido. Na jogada mais perigosa do "Timão" o ex-Figueira Willian recebeu na entrada da área e de perna esquerda carimbou a trave alvinegra. Aos pouco Jorginho foi recuando ainda mais o Figueira, sacando Fernandes e colocando Pittoni e tirando Wellington Nem para a entrada de Roger Carvalho na zaga. Já nos acréscimos, quando o Corinthians ainda buscava forças para tentar o empate, Júlio César recebeu na meia esquerda, se livrou do marcador, foi em direção a área e de perna direita chutou a bola e carimbou a trave; no rebote, Pittoni de primeira completou para o gol e fechou o caixão corintiano. Mais uma vez o Figueirense fez história no campeonato brasileiro, em mais um jogo para ficar na memória dos torcedores alvinegros. Agora é ir pra cima do maior rival para terminar o primeiro turno com o pé direito.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Fluminense x Fluminense - Faltou luz no Engenhão? Não, mas teve apagão!

O Figueirense foi até o Rio de Janeiro enfrentar o Fluminense no estádio João Havelange, o Engenhão. Como de costume nos últimos jogos realizados nesse estádio, novamente houve um pequeno apagão. Mas não foi a luz que faltou como em outros jogos, o apagão foi alvinegro. Após um bom primeiro tempo, em 5 minutos no segundo tempo o Fluminense praticamente estava com a partida definida.
O jogo começou e os primeiros 10 minutos foram do Figueirense. Mantendo a posse de bola o alvinegro envolvia o Fluminense e embora não agredisse muito ofensivamente conseguia controlar bem a partida. Aos poucos a equipe carioca foi entrando no jogo e logo foi criando oportunidades. Aos 13 minutos o lateral Carlinhos chutou de fora da área e a bola entrou no canto esquerdo de Wilson, porém o atacante Rafael Moura em posição de impedimento fez o corta-luz para a bola entrar e o gol foi anulado corretamente pelo árbitro da partida. Em cobrança de escanteio novamente o Fluminense assustou obrigando o goleiro Wilson a fazer boa defesa em conclusão de cabeça. Passado a metade do primeiro tempo o Figueirense passou a agredir mais o adversário. Elias recebeu na meia direita, carregou para a perna esquerda e chutou forte de fora da área assustando o goleiro Diego Cavalieri que viu a bola passar próximo da trave direita. Aos 39 minutos Somália recebeu na área livre, dominou e tocou no lado para Julio Cesar que dominou e de perna direita chutou forte obrigando o goleiro tricolor a espalmar a bola para escanteio. Pouco tempo depois veio um lance que poderia ter mudado a história da partida. Em uma saída do Fluminense Elias conseguiu fazer a roubada de bola no meio campo e o contra-ataque foi armado com três jogadores do Figueira contra três do Fluminense. O meia carregou a bola até a entrada da área e ao invés de tocar ao lado para Somália que estava livre e pronto para marcar preferiu concluir a jogada e chutou no meio do gol facilitando a defesa do goleiro. E o primeiro tempo terminou mesmo no 0 a 0 muito equilibrado.
Veio o segundo tempo e os minutos iniciais seriam cruciais para a partida. Aos 3 minutos o atacante Rafael Moura recebeu na área, protegeu a bola e quando parecia não ter mais opção para a jogada tocou para Edinho que estava próximo da meia lua da grande área, que de primeira mandou um canhão que Wilson não conseguiu defender. Apenas 2 minutos depois, JP Goiano recebeu a bola na zaga e ao invés de dar um chutão para frente se amarrou e acabou perdendo a bola para Rafael Moura que entrou fácil na área e na saída de Wilson concluir para ampliar o placar. Mesmo com o placar adverso o Figueira tentou correr atrás do placar e fez quase que uma blitz na área tricolor. Em jogada pela esquerda, Juninho entrou na área e de pé direito carimbou a trave adversária. Em seguida JP Goiano de fora da área e Elias e Júlio César também pararam no goleiro adversário. Jorginho tentou ir para o tudo ou nada e sacou Somália e Túlio colocando Héber e Leandro Chaves respectivamente. As alterações não surtiram efeito algum e aos 23 minutos o lateral Mariano driblou juninho na esquerda e cruzou na área para Rafael Moura que subiu mais alto que a zaga alvinegra e de cabeça marcou o terceiro gol do Fluminense e liquidou a partida. Depois disso o técnico jorginho ainda sacou JP Goiano para a entrada de Roger Carvalho numa substituição no mínimo estranha. O objetivo era preservar o jogador dos erros ou expôr o jogador direcionando a culpa pelos gols sofridos a ele? Ficou a dúvida. Com o 3 a 0 no placar o alvinegro não tinha mais forças para buscar algo a não ser um gol de honra e o tricolor carioca também já pensava mais em administrar o resultado, e assim terminou o jogo, com um inexplicável placar que não reflete o que foi a partida.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Figueirense x Flamengo - Um show, só faltou a vitória!

E nesse domingo de dia dos pais o Figueirense recebeu no Scarpelli o todo poderoso Flamengo, um dos líderes do campeonato com várias estrelas no time sendo a principal delas Ronaldinho Gaúcho, e fez um de seus melhores jogos no ano. O técnico Jorginho voltou a jogar com um time diferente do último jogo, com Bruno voltando a lateral direita, Jackson como primeiro volante no lugar de Igor e Fernandes na meia com Elias, Maicon e Túlio, deixando apenas o atacante Julio Cesar na frente. E assim o Figueira foi para o jogo, e logo nos primeiros minutos já foi dando as cartas. Aos sete minutos Maicon cobrou escanteio, Julio Cesar cabeceou e Fernandes completou para as redes mas o gol foi anulado porque o meia estave impedido. O alvinegro estava com o meio campo muito bem postado e dificultava a saída de bola do rubro-negro carioca, que aos poucos foi se encaixando em campo também. O primeiro lance de perigo do time adversário veio aos 17 minutos em cobrança de falta de Ronaldinho Gaúcho na meia esquerda que Wilson voou para fazer a defesa. Foi um lance que deixou o estádio em silêncio com todos apreensivos pela cobrança. Em resposta, Bruno avançou pela direita e na entrada da área chutou forte para a grande defesa do goleiro Felipe. Em seguida, novamente Bruno fez jogada na lateral direita e cruzou para Fernandes na área, que dominou e tentou surpreender chutando de virada mas a bola foi fraca e facilitou a defesa do goleiro. Aos 36 minutos, em uma das poucas falhas de marcação do meio-campo alvinegro, Ronaldinho Gaúcho recebeu e girou fácil em cima de Túlio, tocando na lateral para Leonardo Moura e cruzou na cabeça de Deivid que de frente para o gol cabeceou forte para abrir o placar para o Flamengo. O gol deu moral para o time carioca e antes que o primeiro tempo acabasse novamente Deivid recegeu livre na área mas Wilson cresceu para cima do atacante e fez a defesa parcial impedindo o segundo gol na partida.
Veio o segundo tempo e Somália fez sua estréia com a camisa alvinegra entrando no lugar de Fernandes. Ninguém sabia mas a etapa final seria eletrizante. Logo as 5 minutos o Flamengo ampliou sua vantagem. Ronaldinho Gaúcho bateu escanteio fechado, o goleiro Wilson falhou e Deivid sozinho cabeceou debaixo do gol marcando também seu segundo gol na partida. O gol do time carioca deixou a torcida apreensiva logo no início da etapa final. Para alegria de todos, apenas 3 minutos depois Juninho achou Somália livre na área e o estreante não disperdiçou a oportunidade, chutando forte na saída do goleiro Felipe e diminuindo o placar. O gol deu novamente confiança a equipe e a torcida alvinegra que começou a mostrar sua força. Jorginho parece que finalmente se convenceu que o Figueira tem que jogar futebol e não apenas se defender e para ir em busca do empate sacou Jackson e colocou Pittoni no meio. Aos 25 minutos a pressão foi recompensada. Maicon bateu escanteio, dessa vez Felipe saiu mau do gol e o zagueiro Edson Silva subiu mais alto que todos e cabeceou para empatar a partida. Com o gol o caldeirão ferveu. A torcida alvinegra fez uma verdadeira festa e os minutos finais foram emocionantes pois a qualquer momento um dos times podia sair vencedor embora a pressão fosse toda alvinegra. O gol da virada parecia uma questão de tempo, mas foi justamente esse detalhe que faltou, "tempo". O relógio girou rápido e o jogo acabou mesmo terminando empatado. A torcida fez sua festa e aplaudiu o time que mostrou um incrível poder de reação diante de um time com muitas estrelas e candidato ao título do campeonato. Com o empate o Figueirense chegou aos 23 pontos no campeonato, ocupando a oitava posição na tabela. O próximo jogo do Figueira será quarta-feira as 19:30 hs contra o Fluminense no Engenhão.

sábado, 13 de agosto de 2011

Chegando a Hora - Figueirense x Flamengo

Está chegando a hora daquele que deve ser até agora o maior jogo do ano no Scarpelli. Vem aí o Flamengo, único invicto no Campeonato Brasileiro, com suas estrelas, R10, tradição, etc. Por outro lado o Figueirense passa por um momento estável no campeonato, vindo de uma vitória convincente fora de casa contra o Atlético-MG e com confiança e empolgação de sobra. Pelo momento dos dois times, o jogo tem tudo para ser daqueles inesquecíveis, pra ficar na memória do torcedor. É a chance do alvinegro ser o assunto da semana não só no âmbito nacional como até internacional. Vencer o Flamengo dará ao time uma projeção muito grande, acabando com a invencibilidade adversária e indo brigar até o final do turno na parte de cima da tabela. Durante a semana foi apresentado o atacante "Showmália" e que já está disponível para o jogo, devendo entrar durante a partida. Com os dois gols no último jogo o meia Elias também está confiante para mais uma grande apresentação, dessa vez diante da torcida alvinegra. Essa por sua vez, deve fazer uma grande festa e proporcionar junto com os jogadores um grande espetáculo. Domingo é dia dos pais, mas para muitos a data estará em segundo plano, porque o mais importante nesse dia será o imperdível jogo diante do Flamengo. A todos os alvinegros, um Feliz Dia dos Pais, que todos os caminhos levem ao Scarpelli e que os verdadeiros alvinegros empurrem o time para a vitória.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Somália, Schwenk e nova camisa

SOMÁLIA

Já está na área o provável novo reforço do Figueirense, o atacante Somália. O jogador desembarcou hoje na cidade e foi recebido por Chico Lins, gerente de futebol alvinegro. Somália vem para reforçar o ataque alvinegro que perdeu recentemente o jogador Reinaldo para o Bahia e com a lesão de Aloísio a necessidade de reposição é urgente. Hoje deverá fazer exame médico e deve ser apresentado amanhã no Scarpelli.

SCHWENK

Antes de Somália o nome mais forte para reforçar o ataque alvinegro era do atacante Schwenk que está no Criciúma. O jogador teve duas boas passagens pelo Figueira em 2006 e 2009 e foi sondado para se transferir do time do sul do estado para Florianópolis. Como é de costume dos times do interior, a negociação acabou não caminhando como deveria e o jogador além de não vir defender o Figueirense acabou sendo afastado pela diretoria criciumense, que justificou dizendo que o jogador não estava focado na série B. Apesar de não ser um primor de técnica Schwenk é um jogador que mostra muita raça e disposição, o que acaba compensando um pouco suas limitações, e seria uma boa opção para o alvinegro.

TERCEIRA CAMISA


A torcida do alvinegro já pode encontrar nas lojas Figueira Store a terceira camisa do time. O modelo é simples e lembra um pouco uma camisa de goleiro feita um tempo atrás. É toda preta, com poucos detalhes na manga e na gola, mas nada de espacial. É o famoso pretinho básico, porém ficou muito bonita. Vale a pena conferir apesar do preço ser um pouco salgado.