Páginas

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Belo é Figueirense?


O cantor Belo e sua vitaminada gata Gracyanne Barbosa tiraram a manhã da última quarta-feira para levar seus cachorrinhos para passear num parque na Barra da Tijuca. Nada de mais além de um detalhe: o cantor vestia camisa e calção do Figueirense. Seria o cantor um fanático alvinegro? Independente da pessoa, é interessante ver um artista de renome nacional vestindo o manto alvinegro, isso só prova o que todos nós sabíamos, que somos a maior torcida e o Figueirense é o clube mais querido de Santa Catarina.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Fora de Tempo

Dizem que timing é tudo. Se é mesmo verdade, essa é a hora de chorar as pitangas como muitos estão fazendo. E estão certos, é o que resta, lamentar por mais uma perda. Agora acho idiotice é ficar remoendo coisas que não voltarão mais e não querer enchergar o que de bom aconteceu, mesmo que não tenha sido de total agrado. Vejo, leio e escuto muita coisa em relação ao passado, presente e futuro do Figueirense. Tudo tem seu ponto de vista e o todo tem que ser analisado, não podemos pegar uma única visão das coisas e transformar isso na mais pura verdade. Que o técnico Jorginho não é unanimidade nas arquibancandas do Scarpelli todo mundo sabe. Agora não dá pra colocar todo o peso da desclassificação nas suas costas, assim como foi feito pela diretoria alvinegra com Goiano. Se com o capitão o Figueirense apresentava um futebol vistoso, rápido e envolvente, em quase todos os momentos decisivos que teve fraquejou. Nos jogos mais importantes faltava poder de definição e mesmo jogando bem o time muitas vezes sucumbia ao adversário. Foi assim em jogos decisivos pela série B contra Sport e Duque de Caxias, quando o time precisava da vitória para garantir o acesso e não saiu do 0 a 0 nos dois jogos. No primeiro turno do estadual não conseguiu vencer um único jogo fora de casa e contra Avaí e Criciúma no Scarpelli novamente o time não mostrou sua força. Com isso veio a queda do Goiano, que também considero injusta, mas acho que faltou ao nosso antigo treinador amadurecimento para absorver a culpa da derrota para o Criciúma ao invés de transferir para os outros essa responsabilidade. Nesse cenário totalmente contrário apareceu o nome de Jorginho, o que parecia ser o início do fim. Mesmo tropeçando no início do returno o técnico não se abalou e na fase decisiva do returno venceu três finais seguidas, contra Chapecoense, Criciúma e Avaí, conseguiu vitórias fora de casa e terminou o returno com 20 pontos (4 a mais que Goiano conquistou no primeiro turno) e mesmo assim não conseguindo terminar em primeiro. Devemos considerar que no momento mais difícil o time entrava sempre remendado em campo devido a lesões e cartões dos jogadores titulares. Pois veio o clássico e como todos sabem é um jogo que tudo pode acontecer. E assim, em dois erros individuais de posicionamento da nossa defesa tomamos dois gols de bola parada e foi tudo por água abaixo. Sem contar que o time mostrou os mesmos problemas da "era" Goiano como a falta de poder de finalização a gol. Então, não dá pra colocar o peso de uma eliminação em uma só pessoa, por mais dolorida que seja ser eliminado pelo maior rival em casa. Não é hora de esboçarmos um quadro negativo e passar a fazer prognósticos para o brasileiro, pois a parada é dura para todos, não só para nós. Qualquer opinião em relação a isso será dada fora de tempo.

domingo, 24 de abril de 2011

Figueirense x Avaí - No clássico da PAZ, um time muito PAZ e AMOR...

O Figueirense recebeu hoje o Avaí para mais um clássico decisivo e que valia vaga na final do returno contra a Chapecoense. Por ter terminado a fase de classificação em segundo lugar o alvinegro tinha a vantagem de jogar em casa e ainda pelo empate. Depois dos últimos acontecimentos do último clássico realizado na Ressacada com cenas de violência principalmente por parte da torcida adversária, esse jogo estava sendo chamado de clássico da PAZ. Pois parece que o time incorporou bem esse espírito porque enquanto o Avaí veio decidido a conseguir sua vaga na final do returno o Figueira entrou em campo achando que estava tudo bem, que o seu toque de bola envolvente mas pouco objetivo seria o suficiente para garantir a vaga na final. Quando viu, já estava perdendo o jogo. E o primeiro gol veio em um lance manjado da equipe adversária: falta próximo a área que a paquita bate sempre procurando o batoré que não teve trabalho nenhum em completar para o gol já que nossa zaga PAZ e AMOR ( e chutão pra frente)  não fez questão de marcá-lo. O time até tentou, correu um pouco atrás do placar mas em clássico tem que colocar a bunda no chão e sobrou muita técnica e pouca alma ao time. As mesmas jogadas de sempre e os mesmos erros também. Maicon (visivelmente fora de ritmo) tentou alguns chutes  PAZ e AMOR de fora da área que não criavam dificuldade alguma ao goleiro Renan. Pittoni perdeu uma oportunidade incrível em boa roubada de bola no meio campo e para não dar o gol ao lateral Bruno preferiu chutar por cima do travessão adversário. Veio o segundo tempo e Jorginho manteve a equipe que começou a partida e novamente o time foi em busca do empate, mas assim como no primeiro tempo, faltava alguém que não estava afim daquele clima PAZ e AMOR pra colocar a bola pra dentro. E veio o castigo aos 17 minutos quando novamente a Paquita bateu um escanteio e nossa defesa PAZ e AMOR deixou o colombiano Estrada cabecear livre para ampliar o placar. A partir daí foi desespero total do time e da torcida que já não tinha nem mais forças para apoiar a equipe. O Avaí ainda perdeu oportunidades incríveis em contra-ataques enquanto que o Figueirense foi para o desespero mas sem organização alguma. No clássico da PAZ, inacreditavelmente deu Avaí, mesmo com todas as vantagens que o alvinegro tinha. Depois de algumas rodadas mostrando um futebol de força e superação, a goleada sobre o Imbituba parece ter criado uma zona de conforto no time e em clássico, quem entra para  jogar no estilo PAZ e AMOR acaba perdendo. Futebol no Scarpelli agora só no dia 22 de maio quando o Figueirense estréia no Brasileiro contra o Cruzeiro. Até lá, muita coisa vai acontecer e esperamos que o time amadureça nos jogos decisivos.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Tá esquentando o clássico!


A medida que o jogo de domingo vai chegando, novos acontecimentos fazem esquentar ainda mais o clássico.
  •  Depois da operação feita pelo TJD para deixar Coutinho fora do jogo o departamento jurídico do alvinegro agiu rápido e conseguiu um efeito suspensivo para a punição no TJ de SC. Assim o jogador está liberado para jogar até que haja outro julgamento.
  • Em sorteio realizado no dia de ontem ficou definido que Célio Amorim será o árbitro dessa importante partida. O nome não agrada nem um pouco a ambos os lados, mas enfim, foi o escolhido e agora não adianta espernear, e torcer para que dê tudo certo.
  • No treino de hoje o técnico Jorginho escalou o Figueirense com Wilson, Bruno, João Paulo, Édson e Juninho, Ygor, Túlio, Maicon e Pittoni e no ataque Wellington e Reinaldo. Não sei se está fechado o time que começará a partida mas em um clássico decisivo ver Fernandes no banco é triste. Acho que o meio poderia ser formado com Ygor, Túlio, Maicon e Fernandes, mas é aguardar para ver. O importante é que agora o treinador tem todas as condições de colocar em campo o que há de melhor.
  • Ontem o time adversário jogou pela Copa do Brasil mais uma confusão aconteceu na Ressacada. Impressionante como o time de lá atrai essas coisas. Dessa vez o sangue uruguaio do Louco Abreu ferveu e no final do jogo foi com tudo pra cima da paquita avaiana e a confusão foi armada. A pior cena de todas foi Rafael Macoelho que deu uma voadeira por trás em Herrera e saiu em disparada para o vestiário todo cagado. E aí, será que o clássico vai ser da paz?

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Começou a polêmica!

      Semana de clássico é sempre movimentada e assim que o juiz apitou o fim do jogo do Figueirense contra o Imbituba no domingo, não tinha como, todos já começaram a falar do clássico. E também não tem jeito, sempre durante a semana desse importante jogo alguém faz alguma presepada, coisas extras acontecem, a rotina é marcada por informações novas que surpreendem de um modo geral. Pois o que marcou essa semana que antecede o clássico foi a punição do TJD de 4 jogos ao volante Coutinho, que tinha sido expulso por trocar uns tapas com o lateral Pereira do time adversário. O Figueirense hoje mesmo tentará recorrer da decisão para poder contar com o jogador nas fases finais do campeonato catarinense. É bom ressaltar que Coutinho não é titular absoluto do time e não é daqueles jogadores que aparecem para a torcida, mas nas últimas rodadas ganhou oportunidade e ajudou o time nessa última sequência de vitórias.
      Enquanto o Tribunal punia Coutinho severamente em 4 jogos e mostrava como era rigoroso, com o time do sul da ilha o tratamento foi diferente. Após jogarem um sinalizador em campo na direção do lateral Juninho do Figueira e interromperem a partida por mais de 15 minutos, o Avaí foi punido vergonhosamente em R$ 500,00. O que é isso auditores, R$500 ????  Deve ter sido pra pagar o rodízio de pizza. Novamente eles aprontam e é esse o exemplo que o Tribunal de Justiça Desportiva vai dar? Justamente na semana do clássico! Podem esperar que com essa punição toda domingo a torcida azul vai se comportar civilizadamente no Scarpelli. Depois ficam querendo que o clássico seja da paz se não combatem a impunidade. Papelão!!

domingo, 17 de abril de 2011

Imbituba x Figueirense - Wellington pediu a música e lá vem mais um clássico!

video
O Figueirense foi a Zimba enfrentar o Imbituba  buscando a vitória e contando com um tropeço da Chapecoense em Brusque para terminar o returno na primeira posição. Com alguns desfalques, o time de Jorginho começou com Igor, Coutinho, Fernandes e Breitner no meio e o ataque era formado com Dudu e Wellington. Assim o Figueirense começou a partida partindo para cima do Imbituba e logo aos 4 minutos Bruno foi na linha de fundo e cruzou para Wellington que entrou por trás da zaga e só teve o trabalho de empurrar a bola para o gol para abrir o placar da partida e desencantar depois de 12 partidas sem marcar. Com o gol, o time teve tranquilidade e muito cedo passou a administrar o placar. O time da casa até tentava uma reação mas muito fraco tecnicamente não assustava nem um pouco o goleiro Wilson. Apesar da passividade o alvinegro ainda conseguia criar algumas situações e em uma delas Fernandes chutou da entrada da área e o goleiro Juninho conseguiu fazer a defesa. Aos 42 minutos Fernandes lançou Dudu na meia esquerda, o atacante levou até a entrada da área e cruzou para Wellington que entrava sozinho e não teve dificuldade de fazer seu segundo gol na partida para fechar o placar do primeiro tempo. Veio o segundo tempo e o Imbituba passou a se atrever mais no ataque mas falhava muito nas conclusões. Jorginho fez sua primeira alteração sacando Breitner e colocando Helder na lateral esquerda, deslocando Juninho para o meio. A substituição fez efeito aos 25 minutos quando Juninho fez bela jogada pela meia, entrou na área e rolou para Wellington fazer seu terceiro gol, pedir música para o Fantástico e praticamente liquidar as pretensões do Imbituba. Com o terceiro gol Jorginho mexeu novamente na equipe. Juninho Frizzi estreou entrando no lugar de Dudu e Wellington Nem entrou no lugar de Fernandes. As substituições fizeram efeito e quem entrou procurou mostrar serviço ao treinador. Aos 40 minutos Juninho fez novamente linda jogada na esquerda, trouxe a bola para o meio e de perna esquerda bateu no canto direito do goleiro que nem se mexeu. Apenas 2 minutos depois Hélder experimentou de fora da área e marcou um golaço no ângulo direito do goleiro Juninho fazendo o quinto gol alvinegro na partida. Para fechar o placar o atacante Juninho Frizzi fez jogada rápida pela meia esquerda, invadiu a área e tocou para Wellington Nem completar de peito já quase dentro do gol. Com a vitória da Chapecoense contra o Brusque o Figueirense terminou o returno na segunda posição e no próximo domingo vai encarar o Avaí em mais um clássico nesse campeonato. Dessa vez o alvinegro tem a vantagem de jogar pelo empate e de o jogo ser no Orlando Scarpelli. Para esse jogo decisivo o técnico Jorginho deve ter a volta de vários jogadores que estavam sem jogar como Maicon, Roger Carvalho, Héber, Reinaldo e Pittoni.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Jornalista ou Jornaleiro?

Em busca de informações e notícias sobre o Figueirense ficamos atentos a vários veículos de informações, sejam rádios, jornais, blogs, sites, enfim, qualquer notinha pode ter alguma informação exclusiva ou interessante, fugindo um pouco do padrão que é vinculado nos meios de comunicação locais. Este blog, por mim escrito, não tem objetivo político/partidário nenhum, é apenas uma forma de "brincar" com meus colegas do setor C do Scarpelli e com outros alvinegros, informando e dando opinião mas não levantando nenhuma bandeira contra ou a favor de alguém, tentando analisar os fatos o mais friamente possível apenas para o bem do Figueirense. Agora o que se lê, se ouve e se vê de baboseira é por aí é brincadeira. Tem um monte de "jornalistas" dando chute pra tudo quanto é lado. Com o segundo turno indo pro saco nesse domingo ainda tem gente escrevendo sobre o Goiano. Pô, tá torcendo pra quem? Para o Figueira? Parece o pequeno do Avaí que fala mal, fala mal, de dez acerta uma, aí fica usando o único acerto como uma verdade absoluta pra tudo. Acho que tem coisas que já passaram, temos que esquecer apesar da mágoa que fica, mas o Figueira tem que ser maior que tudo, então não dá para querer remar contra. Tem outra, meter o pau no Uram quando ele traz bagaceira é fácil, mas quando o cara consegue manter Maicon (que já teve propostas para sair), Igor (esse nem se fala) entre outros jogadores no elenco alvinegro, ninguém fala nada. Não sou nem contra e nem a favor do cara, acho que ele está no trabalho dele. Se não tiver ele, com certeza vai ter outro. O futebol é negócio e ninguém vai mexer com isso de graça, todo mundo quer sua fatia do bolo e tem coisa que não volta atrás. Ainda tem a turma da previsão, mas não a do tempo, que fica querendo adivinhar tudo, quanto vai ser o jogo, quem vai ganhar, quem vem, quem não vem, etc. Tem cara que fala tanto que deveria ser jornaleiro, não jornalista. Quando tá tudo positivo o cara é negativo, quando tá negativo o cara é positivo, se o branco tá na moda ele usa preto, e assim vai, andando anti-horário pra ver se volta no tempo. Os caras tem que se decidir, ou são jornalistas, ou são jornaleiros!

terça-feira, 12 de abril de 2011

Reforços a vista!

A semana começou bem movimentada no Orlando Scarpelli no que diz respeito a chegada de reforços. O meia Jônatas já desembarcou em Florianópolis e outros nomes estão surgindo. Jônatas apareceu bem no meio campo do Flamengo entre 2003  e 2006 e chegou a seleção brasileira. Do Flamengo foi jogar na Espanha e depois acabou voltando ao time do Rio. Com um fraco desempenho acabou sendo emprestado ao Botafogo onde não fez sucesso. Arredio, foi parar no Ceará ano passado e novamente teve uma passagem discreta e agora, está desde o último brasileiro sem jogar. Será que vai dar certo aqui? Vamos torcer pra sim. Aparece também na lista dos possíveis reforços o lateral Joílson. Aliás, não é a primeira vez que esse nome pipoca na lista do Figueirense. O jogador que já teve passagem pelo Botafogo está disputando o campeonato carioca pelo Boa Vista, então, pelo menos está na ativa. Outro nome que já vem sendo falado a algum tempo é do atacante Aloísio da Chapecoense. O jogador que pertence ao Caxias-RS está emprestado ao time de Chapecó até novembro de 2011, mas seus direitos federativos foram comprados pela Brazil Soccer, empresa de Eduardo Uram, parceiro do Figueirense. O jogador foi indicado ainda pelo técnico Márcio Goiano por ter características parecidas com o ex-atacante alvinegro Willian, hoje no Corinthians. Agora, é muito provável que o atacante faça suas malas e apareça no Scarpelli para disputar o Campeonato Brasileiro. O grupo ainda vai precisar de muito mais reforços para fazer uma campanha sólida nesse Brasileirão. Além desses jogadores, seria preciso pelo menos mais dois meias de ligação, um primeiro volante e mais um atacante. Mas aos poucos o grupo vai se moldando e devemos ter um bom time para disputar o Campeonato Brasileiro de 2011.

domingo, 10 de abril de 2011

Figueirense x Criciúma - De novo não né!

video
Depois de dar um tapinha no índio e de acabar com o leão, o Figueirense recebeu nesse domingo o Tigre no Orlando Scarpelli pela penúltima rodada do returno do Campeonato Catarinense. O Criciúma mesmo não estando muito bem no returno ainda deixava uma certa pulga atrás da orelha do torcedor alvinegro devido as duas derrotas anteriores, principalmente a derrota na final do turno. Ainda com alguns desfalques na equipe o técnico Jorginho optou pela entrada de Fernandes no lugar de Breitner, dando mais experiência a equipe. E o jogo começou com o alvinegro indo pra cima do tigre. Nos primeiros 15 minutos uma inúmera sequência de escanteios não foi aproveitada pelo ataque do Figueira. Com toda essa pressão inicial o time do Criciúma começou a fazer sua famosa "cera". Cada tiro de meta batido por Andrey demorava mais do que o tempo normal. A melhor chance do primeiro tempo para o Figueirense veio com o atacante Reinaldo que deixou o campo aos 30 minutos com dores na coxa esquerda e preocupa para o resto do campeonato. Breitner entrou em seu lugar. O tigre chegou poucas vezes ao gol do goleiro Wilson mas aos 37 minutos em uma jogada aparentemente sem pretensão na lateral esquerda, Diogo Oliveira cruzou fraquinho para a área e Roni se aproveitou da lentidão alvinegra para abrir o placar. Em seguida, correndo atrás do prejuízo, Wellington escorou na área para Breitner que chegava de frente mas o meia não soube aproveitar a oportunidade e chutou por cima do goleiro Andrey e o primeiro tempo terminou mesmo com a vitória parcial do Criciúma.
Veio o segundo tempo e assim como o primeiro o Figueirense partiu com tudo pra cima do adversário. Logo a 1 minuto Fernandes escorou para o atacante Wellington que da entrada da área chutou rasteiro mas Andrey defendeu. Aos 11 minutos, Breitner cobrou falta na lateral da área, o goleiro Andrey e a zaga se atrapalharam e o zagueiro João Paulo empurrou a bola já para o gol vazio. Apenas 3 minutos depois, novamente Breitner, dessa vez cobrando escanteio, cruzou na área e Túlio aproveitou e de esquerda virou para o Figueira. Nesse momento a torcida nas arquibancadas fazia a festa. O Figueirense tinha se encontrado em campo e o Criciúma tentava se recuperar da virada quando aos 23 minutos Wellington roubou bola na meia esquerda, partiu pra dentro da área e tocou par aPittoni que na cara do goleiro Andrey não teve trabalho para marcar o terceiro gol alvinegro. Com a vantagem do placar caberia ao Figueirense "cozinhar" a partida para garantir a vitória, coisa que o time do sul do estado faz muito bem. Mas os jogadores alvinegros não tem essa característica, e ao invés de administrar o jogo continuavam a buscar o ataque se expondo em alguns momentos. Com isso, aos 37 minutos o Criciúma conseguiu diminuir o placar em um contra-ataque com  Thalles Cunha que aproveitou rebote do goleiro Wilson em um chute de Schwenck. Os minutos finais foram dramáticos no Scarpelli, com o Figueirense fechadinho e o Criciúma pressionando mais a essa altura a vitória não podia mais escapar. Wilson ainda fez uma defesa difícil no último minuto em um chute forte de fora da área mas o placar ficou mesmo no 3 a 2 e acabou o tabu de não ter vencido o tigre nesse campeonato. Com a vitória o alvinegro chegou aos 17 pontos mas continua a 2 pontos da líder Chapecoense. Na última rodada o time enfrenta o Imbituba fora de casa e torce para um tropeço do verdão do oeste contra o Brusque para que termine o returno na liderança trazendo assim as decisões para o Scarpelli. Se o campeonato acabasse hoje teríamos o maior clássico de SC na semi-final do returno com a vantagem de fazer a partida em casa e jogando pelo empate.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Figueirense x Criciúma - Últimas informações

O Figueirense terá contra o Criciúma no domingo mais uma decisão no campeonato. Depois de vencer a Chapecoense e o Avaí nas últimas rodadas, o tigre é a bola da vez. Além de estar engasgado com o time do carvão por ter perdido no turno e na final do turno, o Figueirense quer garantir a vitória para tentar ultrapassar a Chapecoense na classificação do returno e na classificação geral do campeonato catarinense. Para isso terá que novamente juntar todas as suas forças disponíveis e o algo mais mostrado nos dois últimos jogos. Algumas informações dessa semana:

O Time - O técnico Jorginho continua sem poder contar com Roger Carvalho, Maicon e Héber. Com isso, Édson Cabeção deve ser mantido na zaga, Pittoni no meio e Wellington no ataque. Além disso, Juninho e Igor receberam o terceiro cartão amarelo terão que cumprir suspensão automática. Com isso, Hélder deve entrar na lateral esquerda e para a vaga de Igor por enquanto nenhuma certeza. As opções mais prováveis são a entrada dos volantes Coutinho ou Jackson, mas enfim, parece que a vaga ainda está em aberto.

Bruno - O lateral direito que deixou o clássico no intervalo com suspeita de fratura no tornozelo foi avalizado durante a semana e já está liberado para o jogo. A pancada foi forte mas o jogador já está liberado para o jogo contra o Criciúma.

Postos Galo - O Figueirense firmou parceria com a rede de Postos Galo para venda dos ingressos de seus jogos. Como é uma rede grande com postos em vários bairros da cidade, ficou mais fácil ao torcedor que não é sócio adquirir seu ingresso para os jogos.

O Furacão Voltou - O filme que ficou em cartaz durante uma semana agora poderá ser adquirido em DVD pelos torcedores alvinegros. A partir da segunda quinzena desse mês já estará disponível nas lojas Figueira Store. É um excelente presenta para dar de Páscoa aos parentes e amigos.


terça-feira, 5 de abril de 2011

Fotos e Vídeos do Clássico

O clássico ainda repercute e agora a nova onda que aparece em parte da imprensa da capital é que para evitar incidentes nos próximos clássicos, devemos ter jogos de uma torcida só ou seja, clássico no Scarpelli só com a presença dos torcedores alvinegros e clássico na Ressacada só com a presença dos avaianos. É mais uma campanha para encobrir a falta de capacidade dos clubes de garantirem segurança aos torcedores, da polícia que tem dificuldade de coebir a violência, da irracionalidade de alguns torcedores e da morosidade do tribunal de justiça desportiva que não pune ninguém. Em resposta a quem se posiciona a favor de clássico somente com uma torcida, segue abaixo fotos e vídeos da festa feita pela torcida alvinegra na Ressacada no último clássico. E fica a pergunta, como podem fazer campanha contra a presença da principal razão de um clube existir? 

video
video
video
video


video


video

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Ainda sobre o clássico!

Ainda sobre o clássico algumas considerações:
  • Novamente o Figueirense não fez uma partida brilhante tecnicamente mas o que não está faltando ao time é garra. Os jogadores estão jogando com o coração na ponta da chuteira.
  • Para a surpresa de todos o zagueiro Édson Silva (Cabeção) foi um dos melhores em campo. Apesar de lento em alguns momentos, ganhou quase todas as bolas pelo alto e praticamente anulou os atacantes avaianos.
  • Novamente nosso goleiro voou como um gavião e salvou o alvinegro em algumas oportunidades. Sobre o Wilson nem há muito o que falar, é disparado o melhor goleiro do estado e um dos melhores do Brasil.
  • Rei-nal-dooo, Rei-nal-dooo; o atacante alvinegro mostrou que é um jogador frio e experiente. As vezes não aparece tanto para o jogo mais nas poucas oportunidades que tem costuma definir. No jogo de ontem mandou um torpedaço de fora da área que o Renan e o Miguel Livramento estão procurando até hoje.
  • A arbitragem da partida foi razoável. Foi conivente com a violência avaiana que em alguns momentos chegou junto com força desproporcional. Marcinho Guerrilheiro tirou Bruno de campo com um carrinho violento e nem cartão amarelo levou. Depois do gol alvinegro o juiz também passou a inverter algumas faltas principalmente não marcando a favor do Figueirense e marcando faltas bobas a favor do Avaí.
  • A violência foi um fator negativo do clássico e bateu todos os recordes já registrados. Dentro e fora do estádio ocorreram algumas cenas que envergonham quem gosta de futebol. Já não é de hoje que a torcida avaiana vem aprontando, lembrando que já mataram um torcedor do Joinville na BR 101, destroçaram a mão de um senhor em Criciúma, etc. Confusão existem em todos os estádios e com todas as torcidas mas com a torcida avaiana a coisa é sempre mais séria ultrapassando todos os limites da intolerância. Dessa vez até pedras arremeçadas de fora do estádio causaram ferimentos em alguns torcedores do Figueira.
  • Outro registro foi do sinalizador jogado para dentro de campo pelos torcedores rivais com a intenção de atingir Juninho. Ano passado já ocorreu isso num clássico e nada aconteceu. Esperamos que dessa vez a federação e o tribunal de justiça tomem as devidas providências.
  • A paquita oxigenada da Ressacada novamente tentou fazer das suas. Em uma jogada de Igor no meio campo a bichona tentou simular uma agressão mas o juiz não foi na sua. Com sua pancinha de chopp já não consegue render como em outros anos e fica sempre apelando para essas boleirices, tentando cavar expulsões, pênalti, etc. Vai jogar malandrão!
  • Igor foi o grande nome do meio campo fazendo muito bem a proteção aos zagueiros e ainda saindo para o jogo. Túlio apesar de discreto não apareceu para a torcida mais taticamente foi muito bem ajudando Igor na marcação.
  • A torcida alvinegra deu um show nas arquibancadas. Lotou o pequeno espaço destinado aos visitantes, cantou, gritou e fez a festa na Ressacada.
  • O Figueirense perdeu para o jogo contra o Criciúma por terceiro cartão amarelo os jogadores Igor e Juninho.

domingo, 3 de abril de 2011

Avaí x Figueirense - Wilson, Édson, Reinaldo, Torcida, Fumaça, violência, etc.


O clássico deste domingo teve todos os ingredientes que um clássico deve ter. Um time mais desmontado que o outro (o Figueira jogou sem três titulares e as opções do banco eram limitadas) mas nenhum grande favorito, jogo nervoso, nervos aflorados, torcida dando show, torcida fazendo papelão, ídolos, heróis e é claro um vencedor. O jogo começou com os dois times se respeitando mas com o meio campo alvinegro errando muitas jogadas, possibilitando contra-ataques ao Avaí. No primeiro deles aos 9 minutos,  o atacante Willian cabeceou cara a cara com Wilson mas como nosso goleiro voa como um gavião teve reflexo para fazer a defesa. Aos 15, Rafael Coelho recebeu na com velocidae na área mais na hora do arremate chutou desequilibrado para fora. A partir daí o Figueirense passou a se organizar melhor com os meias Pittoni e Breitner aparecendo mais para o jogo e servindo os atacantes alvinegros. Mas somente aos 34 minutos que o Figueira realmente assustou. Reinaldo recebeu na direita e cruzou para o baixinho Pittoni subir em velocidade e cabecear por cima do travessão. Alguns minutos depois novamente Pittoni recebeu na meia esquerda e de fora da área chutou forte obrigando o goleiro Renan a espalmar para escanteio. O zagueiro Édson Cabeção (que foi um dos melhores em campo ganhando praticamente todas as bolas do atacante Willian) também teve sua oportunidade no ataque cabeceando uma bola para fora na frente do gol. O primeiro tempo terminou equilibrado e com um nervoso 0 a 0. Veio o segundo tempo e o Figueira voltou com Coutinho no lugar de Bruno que saiu machucado devido um carrinho maudoso de Marcinho Guerrilheiro que nem cartão levou. Logo no início Juninho foi bater um lateral e quase foi atingido por um sinalizador que foi arremessado em campo pela torcida avaiana. Com a fumaça o jogo ficou paralizado por mais de  15 minutos. Mas a paralização fez bem ao alvinegro. Logo que a partida recomeçou, Pittoni fez boa jogada no meio campo e na entrada da área chutou em cima da zaga avaiana mas no rebote, Reinaldo pegou de primeira e mandou um petardo no ângulo direito do goleiro Renan que nem viu por onde a bola entrou. Explosão na Ressacada com o Figueirense abrindo o placar. A partir daí começou o show da torcida alvinegra na casa do adversário. O Avaí muito desorganizado ainda quase conseguiu o empate em uma jogada de Felipe que chutou de dentro da área e com Wilson espalmando a bola que ainda explodiu no travessão e foi afastada pela zaga alvinegra. Com 15 minutos para acabar o jogo a torcida avaiana já começava a deixar o estádio. No setor de visitantes a nação alvinegra fazia a festa! Num contra-ataque Juninho fez bela jogada pela esquerda e na cara do gol cruzou para Reinaldo que dividiu com a zaga avaiana e não conseguiu completar para o gol. Os minutos finais foram angustiantes mas a garra apresentada pelos jogadores do Figueirense garantiu a vitória no clássico. O destaque negativo ficou por conta dos inúmeros registros de violência por parte da torcida avaiana antes e depois do jogo. Pedras arremeçadas, tiros, crianças feridas, tudo isso aconteceu novamente envolvendo os avaianos que todo ano aprontam mas não são punidos nunca. Agora o Figueirense enfrenta o Criciúma no próximo domingo no Scarpelli e vai em busca da terceira vitória consecutiva para ultrapassar a Chapecoense e se tornar o líder do returno.